A UNITA insiste na elaboração de um “inquérito isento” para se apurarem as reais causas do incidente que resultou na morte de 17 pessoas e dezenas de feridos, ocorrido na província do Uíge, por ocasião do jogo inaugural do Girabola.

O secretário-geral da UNITA, Franco Marcolino disse, ontem, em Luanda, que o momento político que actualmente o país vive, dominado pelo processo de registo eleitoral, tem sido caracterizado por algumas acções de pré-campanha eleitoral, que, em sua opinião, evidenciam a violação aos requisitos essenciais das regras e princípios de igualdade de tratamento, tal como o consagrado no artigo 7º da Lei nº 22/10 de 3 de Dezembro, Lei dos Partidos Políticos.

Franco Marcolino advertiu, durante uma conferência de imprensa, que os angolanos têm que estar atentos a esses sinais, alegando que a expectativa das eleições que o povo vive, servirá de meio para a alternância que a UNITA se propõe alcançar.

“Queremos devolver a dignidade ao povo angolano, bem como o resgate dos valores mais elementares, na criação de emprego e promoção da solidariedade nas famílias e nas instituições, de formas a garantir igualdade de oportunidades e justiça social”, disse o político Quanto à lista de candidatos da UNITA a deputados à Assembleia Nacional, o secretário garantiu que a mesma estará brevemente concluída.

Mais informação encontre no jornal impresso já nas bancas!

 

Comentários

comentários