António Setas

António Setas

Ele não precisou de desprezar nem os bens materiais, nem quem a eles corre, simplesmente não lhe importava mais do que o estritamente necessário para viver. É assim que me lembro dele, do tempo que partilhamos a redacção deste jornal. Um destes dias falávamos sobre a . . .


Registe-se como Assinante ou inicie sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta