Exposição “Memórias Migrantes” patenteia história de bolseiros angolanos na antiga Alemanha

Exposição “Memórias Migrantes” patenteia história de bolseiros angolanos na antiga Alemanha

Esta patente na galeria Ndongo 119 – Embaixada Criativa a exposição fotográfica documental “Memórias Migran- tes” que explora a história e experiência dos trabalhadores angolanos na antiga Alemanha Oriental, na década de 1980, realizada em parceria com instituições deste país da Europa Ocidental

A referida exposição que ficará patente até 29 de Janeiro do próximo ano( 2024) com a curadoria do pesquisador cultural Luamba Muinga e do historiador João Pedro Lourenço é baseada na trajectória e experiências vividas pelos “antigos contratados” angolanos naquela época.

Segundo o assistente da galeria, Rodrigues Bengui, o trabalho pretende recordar aos angolanos o momento em que o país enviou milhares de jovens para a antiga Alemanha, para o benefício de bolsas de estudo.

“Vamos apresentar uma exposição fotográfica que servirá como demostração da história dos angolanos, que exerceram uma jornada laboral na década de 80, na Alemanha. Um retrato da história, mostrando as vivências, experiências e as dificuldades por eles enfrentadas”, disse ao jornal OPAÍS.

Rodrigues Bengui avançou ainda que o evento servirá, de igual modo, para partilhar através de imagens históricas às vivências “desafiadoras” daquele que inicialmente fazia parte de um programa para bolsas de estudo, que no final acabou por se tornar numa história laboral diferente.

Diálogo sobre a exposição

Segundo o responsável, além da exposição fotográfica documental, o programa reserva ainda uma série de actividades, como a realização de workshops, conversas em torno das obras apresentadas, bem como visitas guiadas ao público apreciador.

Para melhor compreensão daquilo que é apresentado aos cidadãos, o programa evidencia, igualmente, uma sessão de cinema que visa oferecer aos participantes uma compreensão mais profunda sobre esta realidade vivida pelos angolanos na antiga Alemanha.

A referida iniciativa é desenvolvida através do projecto “Echos der Bruderlander”, em português “Ecos dos Países Irmãos”, pela Haus der Kulture der Welt que explora as dimensões históricas, ideológicas e pessoais da migração laboral dos países socialistas para a República Democrática da Alemanha (RDA).

A mesma é realizada com a colaboração do museu de arte de Berlim “Haus der Kulture der Welt” (HKW) e a instituição alemã em Angola, “Goethe-Institut”.