Angola no caminho das boas práticas bancárias

Angola no caminho das boas práticas bancárias

Evento sobre “Soluções Digitais para a Banca” serve de plataforma ideal para clarificar o futuro do sector, já que se vive tempos de transição e a banca tem responsabilidades acrescidas

O presidente da comissão executiva da Digital Banking Solutions Angola (DBS), Nuno Fernandes, disse à imprensa que Angola está bem encaminhada na questão das boas práticas bancárias e que deve continuar a seguir este caminho. Falando à margem do evento “Soluções Digitais para a Banca”, o responsável disse que as soluções digitais são um avanço, já que permitem aos bancos interagir com o cliente de forma diferente, o que acaba por trazer inovação e mudando a forma como os bancos olham para os clientes.

Nuno Fernandes falou sobre as muitas fraudes que tem havido, tendo sublinhado que esta questão é relevante, pelo que apela para a necessidade de se criar plataformas que consigam responder à questão da segurança. Para isso, ressaltou, urge a necessidade de aumento dos índices de literacia financeira, pois, quanto mais se sabe sobre questões de banca e demais assuntos ligados, menos expostos se torna o risco de fraudes.

Por sua vez, Vasco Oliveira, também da DBS, explicou que o futuro da banca é agora por se estar na fase da transição, uma vez que estas instituições financeiras e a banca podem posicionar-se na linha da frente desta transição. Vasco Oliveira chamou a atenção para a necessidade de se criar condições para responder às demandas dos novos tempos, pois que, na sua perspectiva, Angola tem de se preparar não apenas na área tecnológica, mas também no campo da legislação e normas de funcionamento.

Digitalização

Falando sobre a digitalização, Vasco Oliveira disse que há ser- viços que já passaram para este campo, mas o processo em si é global, o que afecta todo o ecossistema, mas na prática, explicou, Angola já está a fazer esse caminho. No evento, foram apresentados e discutidos vários assuntos, com destaque para as questões ligadas às tendências do sector financeiro, bem como as melhores estratégias para implementação destas novas soluções no nosso país.Nas abordagens destacou-se ainda o open banking, que, na visão dos vários participantes, deve ser visto como mais uma oportunidade para os players do sector, que por agora parecem um pouco desligados dos potenciais ganhos que este mecanismo pode proporcionar.

POR: Ladislau Francisco