Cobertura do risco de crédito a pequenas empresas atinge 100%

Cobertura do risco de crédito a pequenas empresas atinge 100%

As garantias públicas para acesso ao crédito das micro, peque- nas e médias empresas (MPME’s) passam, a partir de agora, a 100 por cento da cobertura do risco, fruto de um Memorando de Entendimento, rubricado entre o Fundo de Garantia de Crédito (FGC) e a Prudencial Seguros O administrador para os Negócios do FGC, Eduardo Mohamed, disse que o nível de cobertura do risco de crédito aumentou de 75 para 100%, sendo que 25% das garantias são assumidas pela Prudencial Seguros

Eduardo Mohamed referiu que, com o acordo, o Fundo de garantias e Crédito (FGC) vai partilhar com a seguradora os 2% que cobra de comissões pelas garantias emitidas para financiamento bancário. O responsável realçou que o Fundo de garantia de Crédito está a cumprir um dos seus princípios fundamentais, que é o de facilitar o acesso ao crédito às micro, pequenas e médias empresas, acção reforçada com o referido memorando. Para este ano, o FGC tinha uma meta de até 200 garantias, cifra ultrapassada, tendo em conta que a instituição já aprovou 212 projectos em áreas do sector produtivo, com destaque para a agricultura, pesca, indústria transformadora e pecuária, assim como ao transporte, logística e turismo.

Na ocasião, rubricaram o me- morando a administradora do FGC para Finanças, Efigénia Mpengo, e pela Prudencial Seguros os administradores para as áreas Técnica e Comercial, Manuel Dias, e Finanças, Salva- dor Cardoso, respectivamente. O administrador da Prudencial Seguros, Manuel Dias, considerou que o acordo vai ser um alívio para os produtores, sendo que estes têm agora a concessão de 100% das garantias de financiamento.

“Em contrapartida, vamos ter uma acção mais fiscalizadora”, disse, para avançar que é uma contribuição para juntos com o FGC potenciar-se a economia do país. Manuel Dias avançou que a Prudencial vai intervir em áreas nas quais o Fundo já actua, sendo a agricultura o porta-estandarte, mas outros projectos de micro e pequenas empresas estão contemplados, cujo plafond máximo é de USD 5 milhões.

Com o acordo, as partes pretendem facilitar o acesso ao crédito às MPME’s, com vista a fomentar o processo de inclusão financeira e reconversão da economia informal, bem como promover a criação de micro, pequenos e médios negócios. Além disso, o Memorando vai permitir a cobertura da insuficiência de garantias reais que as MPME’s apresentam junto da banca e de outras instituições de crédito no momento da solicitação (de crédito), identificar e orientar o grupo-alvo de financimento.