Vídeo a mostrar enchentes em comboio do CFB resulta em inquérito

O Conselho de Administração do Caminho de Ferro de Benguela, CFB-EP, dá a conhecer que mandou instaurar um inquérito interno “com vista a serem apurados os motivos e os responsáveis” por uma ocorrência de “tratamento inadequado a passageiros”, a que tomou conhecimento via Redes Sociais.

Reconhece que, em face da gravidade de que se reveste tal vídeo e “porque esta forma de prestação de serviço vai contra os Regulamentos e Instruções de Exploração Ferroviária vigentes, bem como é contrária aos princípios de dignidade humana e de bem-servir que norteiam” a empresa vai agir em conformidade

A ocorrência, autentica registou Sábado, dia 02 de Dezembro, e foi tornada pública por via de um vídeo e mostra “enchentes que se verificaram em um comboio ao serviço do Caminho de Ferro de Benguela, no percurso Huambo – Luena”.

Reconhece que, trata-se de uma composição da companhia, “comboio número 20311, composto por nove veículos, nomeadamente: 1 Locomotiva, 6 carruagens, 1 furgão e 1 gerador, tendo partido às 05H30 de Sexta-feira da estação do Huambo e com destino a cidade do Luena, província do Moxico”.

“Vimos pela presente apresentar os nossos sinceros pedidos de desculpas pela forma como os passageiros foram transportados, aproveitando para levar ao conhecimento público que foi instaurado um inquérito interno”, escreve o Conselho de Administração da companhia ferroviária, ao mesmo tempo que encoraja e apela a “todos os cidadãos para que denunciem todas as más práticas em torno dos equipamentos e infraestruturas ferroviárias, tal como aquelas ligadas a fraca prestação do serviço público”.