Yuri Quixina: “A política monetária e a fiscal estão a caminhar em direcções diferentes”

Yuri Quixina: “A política monetária e a fiscal estão a caminhar em direcções diferentes”

O Presidente da República considera o Conselho Económico e Social instrumento para a identificação “das melhores saídas” para os problemas do país. Quais são “as melhores saídas”?

Tenho dito continuamente aqui, no programa Economia Real, os aspectos importantes para recuperação da economia angolana. Acho que o Presidente percebeu ser importante auscultar a sociedade civil, pois há pessoas que pensam e podem contribuir, já que o fazem no debate público, para fazer compreender o povo sobre a economia. O Presidente acha que esse saber da sociedade civil pode contribuir para a sua equipa escolher os melhores caminhos para a economia de Angola, já que o caminho que se está a seguir não resulta nos objectivos, por isso entendeu ouvir outras perspectivas.

Você é dos que consideram haver falta da capacidade da equipa de João Lourenço na interpretação do seu pensamento. O que acha que não foi devidamente interpretado ao longo dos últimos três anos?

Primeiro penso que esse discurso mostra inconformismo. O Presidente não pode estar conformado com o que está a acontecer, na medida em que o desemprego continua a aumentar. Nesta senda, entendeu ir à procura de mais conselhos, porque a sua equipa está a falhar, do ponto de vista económico, para recuperar a economia. Os discursos do Presidente foram sempre ligados ao mercado. Como interpretar é um outro problema. Tem a ver com o seu staff que o ajudam a recuperar a economia.

Leia mais na edição em PDF do Jornal OPais Diário.

Faça já a sua subscrição!

Envie um e-mail para info@opais.co.ao e tenha acesso à todas as notícias na íntegra.