Governador de Benguela promete “diplomacia económica” para tapar buracos

Eduardo, em Benguela

Com os recursos do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) atrasados, em decorrência de alegados incumprimentos de alguns dispositivos legais, segundo apurou OPAÍS, Rui Falcão tenta agora fazer aquilo a que chamou de “diplomacia económica” para resolver os . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta