Angola e EAU colocam agricultura na agenda de prioridades

O representante do Governo do Emirados Árabes Unidos (EAU) transmitiu um convite ao Presidente angolano para visitar o seu país, visando impulsionar as relações bilaterais e de cooperação.

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, recebeu ao meio da manhã desta Quinta-feira (07), na cidade alta, o representante do Governo para a Região Oeste dos Emirados Árabes Unidos, Sheikh Hamdan Bin Sultan Al Nahyan. O encontro, que decorreu longe do olhar da imprensa, abordou questões inerentes ao aprofundamento da parceria estratégica e bilateral.

Serviu também para analisar possíveis áreas de cooperação, tendo sido atribuídas prioridades aos sectores da agricultura e energia. “O relançamento da parceria passa também pela atracção, por Angola, de investimentos dos EAU. “Apesar de ser um país desértico, possui capacidade financeira e conhecimento”, sublinhou o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto, tendo enfatizado que será por esta via que Angola vai impulsionar a implementação dos programas inseridos no plano de desenvolvimento do Executivo.

Segundo o chefe da diplomacia angolana “entre os dois países já existem acordos rubricados. “O que estamos a fazer, neste momento, é identificar projectos viáveis em áreas prioritárias como a agricultura e a energia”. Por sua vez, o Sheik Hamdan Bin Zayed Bin Sultan Al Nahyan considerou ser uma oportunidade interessante, a julgar pelas potencialidades que Angola apresenta, sobretudo em matéria de recursos naturais.

“Analisamos várias áreas em que os Emirados e Angola podem cooperar e desenvolver. Convidamos, por isso, que o Presidente João Lourenço visite também o nosso País”, sublinhou o governante, que cumpre uma visita de dois dias a Angola. Ontem, o governante manteve também encontros com o governador de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, com o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, e com o ministro da Defesa Nacional, Salviano de Jesus Sequeira. O país do Golfo Pérsico tem a trigésima sexta maior economia do mundo e detém a sexta maior reserva de petróleo do mundo.