Parque da Quiçama assolado por dois incêndios em menos de uma semana

Ainda estão por determinar os danos causados pelo incêndio de Terçafeira, que se mantém com as causas por apurar, entretanto, um outro veio assolar a reserva natural, colocando em perigo a flora e a fauna

Dois dias depois de controlado um primeiro incêndio, que consumiu mais de 20 hectares, o Parque Nacional da Quiçama volta a ser atingido por um novo incêndio.

Nas últimas 24 horas, o novo fogo deflagrou a 10 km do ponto em que o anterior ocorreu, tendo consumido, até ontem, acima de 20 hectares. Uma fonte do Ministério do Ambiente garantiu ontem que o incêndio ainda não havia sido extinto, porém, estava controlado e a ser combatido, designadamente pelos bombeiros, unidade de tropas especiais das Forças Armadas e os trabalhares do parque.

As condições climatéricas favoráveis na região e a proximidade do rio, referiu, têm contribuido para o controlo da catástrofe que não deixa de ser inquietante, atendendo ao facto de que o mesmo incide na região que os animais habitualmente atravessam em direcção ao rio para matarem a sede.

Ainda não se conhecem as causas do incêndio, mas aventa-se hipoteses como “descuido, ignição natural ou fogo posto”. O Parque Nacional da Quiçama perdera já, esta Terça-feira, 5, vinte hectares, o equivalente a 20 campos de futebol, em virtude de um incêndio que assolou a área principal de acesso à reserva.

Com nove mil 960 quilómetros quadrados de extensão, o parque da Quissama possui quatro postos fixos para patrulhamento assegurados por fiscais. Instituído como Parque Nacional em 1938, o Parque da Quiçama dista aproximadamente 70 quilómetros da cidade de Luanda.