Clubes angolanos tombam na cidade de Radés

O Sport Libolo e Benfica e o Interclube falharam a final da Taça dos Clubes Campeões Africanos que decorreu na Tunísia. As duas equipas ficaram na quarta e na sétima posições.

POR: Sebastião Félix

Sport Libolo e Benfica e o Interclube tiveram uma prestação negativa na Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol que decorreu na cidade de Radés, na Tunísia. No palco da competição, os representantes angolanos foram objectivamente desmontados pelos seus adversários. Os argumentos técnicos e tácticos dos libolenses e dos polícias viram-se engolidos à medida que as jornadas prosseguiam.

Assim, dezassete anos depois, a hegemonia do basquetebol angolano nas competições africanas caiu por terra. Por este facto, os libolenses, que eliminaram os polícias nos quartos-de-final, também foram afastados da final. O ASS de Marrocos bateu a formação angolana por 97-86, numa partida em que a conquista do ceptro passou apenas a ser um sonho. Com este desaire, o cinco libolense regressa ao país com o objectivo de atacar as competições domésticas. Ontem, nas classificativas para o terceiro e o quarto lugares, o Sport Libolo e Benfica perdeu para USM da Tunísia por 77-74.

A equipa técnica vai analisar as falhas que teve ao longo da prova. A queda do Sport Libolo e Benfica e do Interclube em solo tunisino mostra que os adversários estão atentos e a trabalhar. Antes, os emblemas angolanos chegavam, viam e venciam sem muito esforço, contudo nesta edição foi o contrário. O Interclube, na primeira fase, não teve muitas dificuldades para passar pelos seus adversários. Mas, no duelo angolano, o Libolo foi mais forte, como, aliás, tem demonstrado nas competições domésticas.

Norte de África domina o certame

As equipas do Norte de África dominaram a Taça dos Clubes Campeões Africanos, por isso as equipas angolanas tiveram algumas dificuldades para se impor na primeira e na segunda da prova. Aliás, a final foi disputada pelo ASS do Marrocos e o ESR de Radés, equipa da casa. Segundo o site da FIBA AFRICA, as equipas marroquinas e tunisinas apareceram melhor. Espera-se que venham a melhorar a qualidade na próxima temporada, uma vez que o objectivo é reduzir a hegemonia das formações angolanas nestas competições continentais.