MININT quer asseguramento da quadra festiva com profissionalismo

O ministro do Interior, Ângelo Veiga Tavares, apelou ontem, Quarta-feira, em Luanda, para um asseguramento policial da quadra festiva com bastante profissionalismo, disciplina e, sobretudo, respeito à população, a quem deve servir.

Ângelo da Veiga Tavares falava numa reunião com responsáveis do Ministério do Interior (Minint) e do Comando-geral da Polícia Nacional, bem como representes das Forças Armadas (FAA), convocada para aferir o estado de prontidão para a quadra festiva. O ministro pediu especial atenção ao combate à criminalidade, especulação e ao açambarcamento de mercadorias. Orientou para a cooperação com a inspecção do Comércio e outras estruturas, para desencorajar actos oportunistas que prejudicam a população, como a especulação de mercadorias aproveitando a época natalícia.

Pediu especial atenção à sinistralidade rodoviária, assim como aconselha a cautelas nas zonas balneares respeitando as normas de utilização dos meios aquáticos. Aconselhou os cidadãos a conviverem em ambiente familiar e a evitar deslocações desnecessárias. Sublinhou que cabe à população papel fundamental no controlo das emoções porque “há mais vida depois da quadra festiva”, controlando o consumo de bebidas alcoólicas, a observar cautelas na condução automóvel, bem como na utilização de velas, candeeiros, e outros susceptíveis de provocar incêndios.

Mais de 30 mil estrangeiros recolhidos por estadia ilegal

Mais de 30 mil cidadãos estrangeiros, maioritariamente da República Democrática do Congo (RDC), foram recolhidos por estadia ilegal no território angolano desde o inicio da operação “Luvuvamu”, iniciada a 15 de Novembro passado, informou nesta Quarta-feira o chefe do posto de comando central da Polícia Nacional. O comissário Caetano Quiar adiantou que, no âmbito da operação, vários estrangeiros ilegais abandonaram voluntariamente o país. O responsável policial falava à imprensa no final de uma reunião orientada pelo ministro do Interior, Ângelo Veiga Tavares, com responsáveis do seu pelouro, do Comando- geral da Polícia Nacional e de representantes das Forças Armadas (FAA), convocada para aferir o estado de prontidão para o asseguramento da quadra festiva.

O chefe do posto de comando central da Polícia informou que no período em análise cerca de 400 cidadãos nacionais foram detidos por crimes diversos, desde o início da operação “Luvumamu” e apreendidas mais de 100 armas de fogo. Informou que estão mobilizados perto de cem mil efectivos, das diversas direcções e unidades da Polícia Nacional, mais de mil 500 viaturas e setecentas motorizadas para que haja um policiamento ostensivo, de proximidade, para garantir a ordem e a segurança pública.

Caetano Quiar afirmou que se pretende uma quadra festiva num ambiente social de tranquilidade, com presença policial efectiva em bairros críticos. O comissário de polícia falou da realização de patrulhas conjuntas com a Polícia Militar para acautelar casos de desacatos que envolvam militares. Disse que a instituição vai criar mecanismos que obriguem os efectivos a agir com rigor e disciplina, sob pena de serem exemplarmente sancionados os actos indecorosos cometidos por agentes da ordem. A operação “Luvuvamu”, expressão quicongo que em português significa tranquilidade, iniciou a 15 de Novembro para garantir a ordem, a segurança e a tranquilidade em todo o país.