No espaço

Angola entra hoje numa nova era, terá um satélite seu no espaço e poderá, providenciar aos seus cidadãos melhores serviços de telecomunicações, e mais baratos. Mas dizer que entramos na era espacial pode ser algo forçado, falta-nos tecnologia,, falta-nos muito.

POR: José Kaliengue

O Angosat 1 foi desenhado e construído por russos. Até onde se sabe nenhuma universidade angolana participou no projecto, o que explica muito bem a distância a que estamos de um satélite que é nosso. O Angosat tem dois centros de controlo, um em Luanda e outro na Rússia. Na verdade, o nosso centro de controlo não está ainda, até onde se sabe, outra vez, associado a qualquer universidade angolana.

A partir de hoje passamos a ter um satélite pago por nós, para servir os nossos interesses , no espaço, mas nós ainda não entramos na era espacial. Estamos muito longe disso. Primeiro teremos de ter as universidades a produzir conhecimento sobre o espaço, teremos de ter angolanos a contribuir com ideias e projectos para a construção de satélites e outros artefactos.

Era bom que se lançasse já às universidades o desafio de começar a desenhar o Angosat 1, até porque um “país espacial” não se faz com um satélite, menos ainda se a chave estiver partilhada ou dominada por outros. Mas sim, a partir de hoje já se pode olhar para o céu e sonhar.