Forragem Verde Hidropónica pode mitigar os efeitos da seca no Curoca

A iniciativa privada prevê a produção de alimentos para o gado. Paulo de Lemos é o mentor do projecto que pode salvar os animais na região Sul.

POR: João Katombela, enviado ao Curoca

A produção de Forragem Verde Hidropónica (FVH) pode mitigar os efeitos da seca que de um tempo a esta parte tem vindo a assolar o Sul do país, particularmente o município do Curoca, na província do Cunene. A seca deixou os criadores de gado sem pasto para alimentar os seus rebanhos, fazendo com que muitos destes homens que se dedicam à criação de gado, com realce para o bovino, caprino e ovino, perdessem os animais.

Por este facto, os criadores enfrentam enormes problemas, sobretudo económicos, consubstanciados na perda das suas criações que passaram a ser vendidas a preços mais baixos, tendo em conta o valor de cada um dos animais comercializado.

Os criadores de gado preferem vender os seus animais a preços baixíssimos, para se evitar perdas maiores, uma vez que diariamente morrem cerca de 30 cabeças por falta de pasto e água. Para se alterar essa realidade, foi apresentado recentemente no município do Curoca, província do Cunene, um projecto de produção de alimentos para o gado, com recursos menos onerosos para os criadores, como fez saber Paulo de Lemos, mentor do projecto.

Sem adiantar os valores a serem empregues neste projecto de carácter privado, Paulo de Lemos disse que o mesmo tem entre outros objectivos, a criação de uma empresa agro-pecuária de produção de caprinos com modernas e adequadas tecnologias, que numa primeira fase pretende beneficiar cerca de 50 criadores, abrangendo desta forma um tola de 500 caprinos. “Com esta estratégia de actuação, queremos igualmente contribuir para a segurança alimentar do país, para a substituição das importações de alimentos, para a redução das assimetrias regionais e para a mitigação do êxodo rural”, frisou o empresário.

Sublinha ainda que o retorno económico depende de quatro elementos essenciais, designadamente, as pessoas envolvidas, os animais, os recursos naturais disponíveis na prioridade e os recursos tecnológicos utilizados, que devem funcionar em perfeito equilíbrio e voltados para o mesmo objectivo. Paulo de Lemos explica que a produção de FVH é uma tecnologia de produção de biomassa vegetal obtida a partir do crescimento inicial de plântulas no estado de germinação e crescimento inicial a partir da semente, com alta taxa de germinação para produzir forragem viva de alta digestibilidade, qualidade nutricional e apta para a alimentação dos animais.