George Weah vence presidenciais na Libéria com mais de 60 por cento dos votos

O ex-jogador de futebol George Weah venceu as eleições presidenciais na Libéria para suceder a Ellen Johnson-Sirleaf, próximo mês, segundo os resultados provisórios do escrutínio da segunda volta de Terça-feira.

Com 98,1 porcento dos votos apurados, Weah obteve 61,5 porcento do total, contra os 38,5 porcento do actual Vice- Presidente da República, Joseph Boakai, de acordo com a Comissão Eleitoral. Os apoiantes de Weah saíram às ruas da capital, Monróvia, para celebrar euforicamente a vitória do antigo internacional liberiano de futebol. George Weah disputou esta eleição sob a bandeira da Coligação para a Mudança Democrática (CDC, oposição) contra o Vice- Presidente cessante, que concorreu pelo Partido Unido (UP, no poder). A primeira volta ocorreu a 10 de Outubro último em 2 mil e 800 centros de voto e em 5 mil e 390 assembleias de voto em todo o território nacional.

Neste sufrágio, George Weah, o antigo Bola de Ouro de 51 anos de idade, obteve 39 porcento dos votos contra 29 porcento de Joseph Boakai, de 73 anos de idade, quando eram necessários mais de 50 porcento dos sufrágios para ganhar. No total concorreram 20 candidatos dos quais 17 apoiados por partidos políticos. Uma das formações derrotadas, o Partido da Liberdade (LP), interpôs recurso contra presumíveis irregularidades e fraudes durante a primeira volta, o que levou o Tribunal Supremo a ordenar à Comissão Nacional Eleitoral (NEC) a examinar as queixas apresentadas.

A NEC rejeitou o recurso por falta de provas, mas o LP voltou à carga diante do Tribunal Supremo, que manteve a decisão da NEC, exigindo contudo que esta última reexaminasse o ficheiro eleitoral e corrigisse as “falhas identificadas” durante a votação de 10 de Outubro de 2017. A Libéria é a república mais antiga de África e foi fundada em 1847 por escravos norte-americanos libertados.

A última transferência democrática de poder no país aconteceu em 1944 e foi seguida de um golpe militar em 1980 e uma guerra civil de 14 anos, que terminou somente em 2003. Weah cresceu na região de Clara Town, em Monróvia, e jogou pelo AC Milão, Paris Saint-Germain e Chelsea e tornou-se no único africano a vencer o prémio de Jogador do Ano da Federação Internacional de Futebol (FIFA). A sua primeira batalha eleitoral foi em 2005, quando foi derrotado pela actual Presidente, Ellen Johnson- Sirleaf, que viria a ganhar um segundo mandato de seis anos em Novembro de 2011.