UAN adopta método automático de correcção de provas

Trata-se de um dispositivo tecnológico que, de forma automática, corrigirá as provas e seleccionará os candidatos apurados de acordo com as médias obtidas nos exames, na perspectiva de garantir transparência ao processo

Por: Afrodite Zumba

A Universidade Agostinho Neto (UAN) vai introduzir o método de correcção de provas automático para a selecção dos candidatos dos Exames de Acesso 2018/2019, revelou ontem, em Luanda, o coordenador de comunicação da Comissão Técnica dos Exames, Arlindo Isabel . Segundo o responsável, a iniciativa visa garantir rigor e transparência ao processo de selecção dos candidatos e que assim sejam admitidos os melhores.

“Após a fase de exames, de 29 de Janeiro a 3 de Fevereiro, as provas serão introduzidas numa máquina que fará a correção automática. Será eficaz, rápido e vai garantir a transparência”, resumiu.

Deste modo, fica sob a responsabilidade do sistema informático seleccionar os candidatos que preencherão as 5000 vagas disponíveis para os 45 cursos das 9 Faculdades ali existentes. “Já não haverá intervenção humana. Entrarão os melhores”, garantiu. Importa realçar que no ano académico transacto a instituição já utilizou um software especializado para a selecção de candidatos.

Entretanto, após a realização das provas, as notas eram introduzidas no sistema por técnicos da instituição. Relativamente às taxas de quatro mil e seis mil kwanzas cobradas no acto da inscrição, Arlindo Isabel salientou que o referido valor foi definido após um estudo de viabilidade sobre os custos inerentes ao processo. “

A universidade é orçamentada pelo Estado, mas o processo de inscrição é sustentado por quem se candidata”, esclareceu.
lutar e nunca desistir Nas primeiras horas do dia formavam-se as primeiras filas para a entrada nos autocarros que gratuitamente transportavam os candidatos que se dirigiam ao campus universitário da referida instituição, no Camama.

Num percurso de 100 metros, da porta principal ao interior da UAN, cruzavam-se os destinos dos jovens que recentemente concluíram o ensino médio com os daqueles que vezes consecutivas lutavam por uma vaga. Nesta última condição encontra-se José Adão da Costa, 34 anos, que para garantir um dos primeiros lugar na fila saiu de sua casa, no Cazenga, às 04h30.

Em depoimento a OPAÍS, revelou que é a terceira vez que submete a sua candidatura a uma das vagas disponíveis na Faculdade de Economia. Os gastos na aquisição de medicamentos e as visitas ao hospital impediram-lhe que frequentasse o curso preparatório.

No entanto, não deixou de fotocopiar tópicos e alguns manuais que têm servido de material de apoio nos dias que antecedem as provas. “Este ano vai dar certo. Fotocopiei cinco livros com os quais tenho estudado”, disse. Tendo acrescentado que está empenhado para superar as dificuldades em Matemática.

Quem também está confiante de que será uma das apuradas é Maura Dala Alfredo. A jovem, 24 anos de idade, tenta pela terceira vez obter uma vaga no curso de Engenharia. Contrariamente aos anos anteriores, optou por inscrever-se no primeiro dia para dispor de mais tempo para estudar a disciplina de Física que, a seu ver, tem sido o motivo do insucesso nas provas.

A estudante que no ensino médio fez o curso de Petroquímica, alega já ter submetido também a sua candidatura ao Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) para o curso de língua Inglesa e obteve nota positiva. Entretanto, as dificuldades financeiras condicionaram-na. Esta é também a razão por que não está a frequentar o curso preparatório e nunca se inscreveu numa universidade privada.

“Desta vez será para entrar. Gostaria de fazer Medicina, mas o meu certificado só me permite testar na Faculdade de Engenharia. Farei Química”, apontou. O processo de inscrição para os Exames de Acesso à UAN decorrem de 4 a 20 de Janeiro no Campus Universitário da instituição no Camama.

Para aderir ao processo, os candidatos devem apresentar a fotocópia do Bilhete de Identidade, certificado com notas do ensino médio, declaração militar para indivíduos do sexo masculino em idade militar.

A estes documentos devem ser anexadas fotografias e um borderoux no valor de quatro mil kwanzas (para os que farão provas que dão acesso a um curso) e seis mil kwanzas para os que pretendam fazer uma prova que permite acesso a dois cursos, para o caso caso de não se obter nota suficiente para o primeiro.