Carta do leitor: Abandonados na Huíla

Estimado director do jornal OPAÍS, Sou das pessoas que estão felizes porque este jornal é vendido na nossa província de Huíla. Também podemos ler e saber o que se passa como os outros angolanos de Luanda. E também é bom ver que as coisas da Huíla também aparecem quase todos os dias no jornal. Isso é bom para os cidadãos e para o Governo da província, que assim fica a saber que o que acontece aqui os cidadãos sabem tudo por via deste jornal.

Os dirigentes assim trabalham com mais atenção, porque agora já não existe só um jornal diário como antigamente e que ainda por cima era do Governo. O jornal OPAÍS está a ajudar muito a Huíla. Mas também os outros angolanos ficam a saber o que se passa na Huíla, algumas coisas são culpa do nosso Governo local, mas outras não. O Governo central tem de resolver algumas coisas para o Governo provincial não sofrer com as culpas. Por exemplo, na segunda província mais populosa de Angola, e que também costuma a ter uma actividade económica importante, está muita gente a ir para o desemprego, muitos negócios a fechar só por falta de electricidade.

A barragem da Matala podemos dizer que é uma mentira, não dá luz. As empresas já nem a gerador funcionam porque também não há combustível. Estamos todos de mãos atadas. Até parece que querem que toda a gente deixe a província. Aqui não se faz nada, daqui a pouco esta vai ser a província mais parada de Angola. Nem já o comércio está fácil, porque as estradas para sair da província também estão estragadas. Se é para sair de avião temos sempre de dormir fora, porque os voos aqui são só à noite e só para Luanda. Se queres tratar de um assunto na capital, mesmo que seja um assunto só de meia hora, tens sempre de passar a noite em Luanda, muitas vezes a gastar o dinheiro que já é pouco. Alguém em Luanda tem de explicar o que fizeram os huilanos de tão mal para merecerem este abandono e desprezo. Mas o povo também te memória. Bom ano para todos.