Palancas Negras viajam para o Marrocos

Depois da última sessão de treinos realizada na Cidadela, em Luanda, a Selecção Nacional segue viagem para o palco da competição.

POR: Sebastião Félix

A Selecção Nacional de futebol viaja amanhã para o Marrocos, palco do CHAN 2018, prova que começa no dia 13 do corrente mês. Com a preparação concluída, o objectivo dos Palancas Negras na maior cimeira do desporto rei para atletas que jogam em África é a passagem para a outra fase. Por este facto, no grupo D, os pupilos de Srdjan Vasiljevic vão tentar ultrapassar os Camarões, Congo Brazzaville e o Burkina Faso, adversário de estreia. Apesar de a preparação ter começado tarde, o técnico adiantou que conhece as selecções que vão jogar com Angola.

Por isso, reconhece e respeita a capacidade de todos, mas acha que não é impossível vencer na primeira fase. Para evitar atrasos de última hora, a direcção da Federação Angolana de Futebol (FAF) enviou uma equipa de avanço ao palco da competição. Contudo, a “task force” vai tratar das questões logísticas, alojamento, bem como da segurança. Antes de partir para o Marrocos, o treinador dos Palancas Negras disse que é prematuro pensar na conquista do CHAN 2018.

Para Srdjan Vasiljevic, o mais importante é pensar numa equipa para o futuro, aliás é preciso ter uma base para começar. “Devo elogiar a direcção da Federação Angolana de Futebol (FAF) pelas condições que criou para a nossa preparação em Luanda”, disse o técnico. Landu, Jotabé e Rui (guarda-redes); Nari, Mira, Wilson, Tó Carneiro, Lito, Medá e Depaizo (defesas); Celson Barros, Paty, Mano Calesso, Almeida, Gui, Manguxi, Herenilson, Chilo, Vá e Job (médios); Fofó, Moco e Kaporal (avançados) são os convocados.

1º de Agosto pronto para o Nacional

O 1º de Agosto quer revalidar o título do Campeonato Nacional de futebol em sub-17, prova que arranca hoje no Estádio Municipal dos Coqueiros, em Luanda, às 16:00. A jogar em casa e diante dos seus adeptos, os militares querem vencer todas as partidas, embora respeitem os adversários em prova. Por este facto, a formação militar preparou-se para o efeito, uma vez que as equipas de Benguela são fortes. Por outro lado, o Real de Sambila de Luanda (campeão em sub-20) também aposta no bi-campeonato nacional, mas terá pela frente frente um adversário chamado AFA, por isso tem de ter argumentos para repetir a proeza.