A noite negra dos Globos de Ouro foi mesmo das mulheres

“Three Billboards Outside Ebbing, Missouri” e “Big Little Lies”, produções protagonizadas por mulheres, foram os grandes vencedores. A noite negra dos Globos de Ouro escreveu-se no feminino.

A 75ª cerimónia dos Globos de Ouro prometia ser diferente, a começar pelo dress code. Nomeados e convidados vestiram-se de preto em homenagem a todas as mulheres que nos últimos meses de 2017 decidiram quebrar o silêncio e partilhar as suas histórias de assédio sexual em Hollywood. A iniciativa pintou o hotel Beverly Hilton, em Beverly Hills, de negro, e ao longo da cerimónia, foram vários os vencedores e vencedoras que chamaram atenção para a importância de dar voz a quem geralmente não tem.

Reese Witherspoon, que subiu ao palco do International Ballroom juntamente com o elenco de “Big Little Lies” para receber o prémio de “Melhor Série”, garantiu que as histórias daqueles foram vítimas de abuso ou assédio, continuarão a ser contadas. “Nós conseguimos ver-vos.” A mensagem ganha outra expressão quando olhamos para os números da 75ª cerimónia dos Globos de Ouro: as produções mais premiadas, tanto na televisão como no cinema, são protagonizadas por mulheres.

A série “Big Little Lies”, que tinha mais nomeações, foi a mais galardoada, arrecadando Globos de Ouro nas de “Melhor Mini-Série”, “Melhor Atriz” numa mini-série, “Melhor Actor Secundário” e Melhor Actriz Secundária”. “The Handmaid’s Tale” e “The Marvelous Mrs. Maisel”, que também têm mulheres nos papéis principais, receberam dois galardões cada uma. No cinema, o grande vencedor foi “Three Billboards Outside Ebbing, Missouri”, filme protagonizado por Frances McDormand, que arrebatou o prémio de “Melhor Atriz”. A noite foi mesmo das mulheres.

A primeira de muitas a subir ao palco foi Nicole Kidman, que venceu na categoria de “Melhor Actriz” pelo papel na mini-série “Big Little Lies”, produzida pela HBO. Descrevendo o galardão como sendo um símbolo “do poder das mulheres”, Kidman agradeceu todo o elenco constituído maioritariamente por mulheres, sobretudo à colega e amiga Reese Witherspoon, uma das produtoras executivas, juntamente com a actriz australiana.