Trocas comerciais com a China superam US D 20 mil milhões

Em Novembro, o comércio entre Angola e a China continuou a crescer, atingindo, ao cabo de 11 meses de 2017, de acordo com os dados das alfândegas chinesas, USD 20,65 mil milhões.

POR: Luís Faria

As exportações angolanas para a China registaram, de Outubro para Novembro, um crescimento de 12,28%, correspondendo a USD 1,63 mil milhões, de acordo com os dados dos Serviços de Alfândegas da China divulgados pelo Fórum Macu. Já as compras efectuadas por Angola ao parceiro asiático registaram uma variação ligeiramente negativa (menos 0,82%) entre os dois meses, situando-se em USD 218,45 milhões, em Novembro. No conjunto, as trocas comerciais entre os dois países atingiram, no penúltimo mês de 2017, USD 1,85 mil milhões, um valor que supera em 10,56% o registado em Outubro.

Entre Janeiro e o final de Novembro de 2017 as trocas comerciais entre Angola e China aumentaram mais de 45% em relação ao mesmo período do ano anterior, somando USD 20,65 mil milhões. As exportações de Angola para a China aumentaram 46,73%, atingindo USD 18,56 mil milhões, ao passo que Pequim expediu para Luanda mercadorias no valor de USD 2,09 mil milhões, o que representa um acréscimo de 32,4% face a 2016. Com o Brasil, o primeiro parceiro comercial da China entre os países de língua portuguesa, as trocas comerciais aumentaram 14,4% de Outubro para Novembro, acercando- se de USD 7,2 mil milhões, com as exportações da China para o Brasil a crescer ligeiramente mais que as exportações do Brasil para a China (15,71% e 14,4%, respectivamente). Mesmo assim Brasília vendeu mais a Pequim do que comprou.

Com efeito a China importou do Brasil mercadorias no valor de USD 4,4 mil milhões e exportou para Terras de Vera Cruz bens avaliados em USD 2,7 mil milhões. Até ao final de Novembro as trocas comerciais entre o Brasil e China totalizaram USD 80,03 mil milhões, mais 29,16% que em igual período de 2016. As exportações da China para o Brasil registaram um acréscimo de 31,9%, situandose em USD 26,25 mil milhões, ao passo que as importações feitas do Brasil subiram 27,91%, atingindo USD 53,78 mil milhões. Com Portugal, o terceiro parceiro comercial da potência asiática entre os países que falam português, as trocas comerciais aumentaram 14,73% em Novembro face ao mês anterior, graças às importações que Pequim fez de produtos oriundos de Lisboa, as quais registaram um aumento de mais de 44%, ascendendo a USD 237,75 milhões, mostrando-se o comércio bilateral bastante equilibrado, já que, no mesmo mês, a China exportou para Portugal mercadorias avaliadas em USD 248,8 milhões (um valor 4% inferior ao registado em Outubro).

O comércio entre a China e Portugal atingiu, até final de Novembro, USD 5,15 mil milhões, crescendo ligeiramente e relação ao valor apurado em igual período de 2016, com a balança comercial entre os dois países a mostrar-se favorável a Pequim. Nos primeiros onze meses do último ano o comércio entre a China e os países de língua portuguesa ascendeu a USD 107,75 mil milhões, o que representa um crescimento superior a 29,4% face a igual período de 2016. As importações que a China fez daquele grupo atingiram USD 74,75 mil milhões, mais 32,21%, e vendeu as exportações somaram USD 32,99 mil milhões, mais 23,66% em termos anuais homólogos.