João Lourenço actualizado sobre situação no Lesotho

O Presidente da República, João Lourenço, recebeu ontem, no Palácio Presidencial, na Cidade Alta, em Luanda, o chefe da diplomacia do Reino do Lesotho, Lesego Makgothi, portador de informações sobre o processo de implementação do roteiro atinente ao processo de reformas em curso no país.Na audiência, foi entregue ao Chefe de Estado angolano uma mensagem do primeiro-ministro do Lesotho, Thomas Thabane, cujo teor não foi revelado.

“Na qualidade de presidente do Órgão de Cooperação Política, de Defesa e Segurança da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), a nossa missão foi de actualizá-lo sobre os eventos decorridos desde Junho que se realizaram eleições até Dezembro do ano passado”, afirmou Lesego aos jornalistas à saída da audiência. O Estadista angolano recebeu informações sobre o processo de estabilização política em curso no Lesotho que inclui reformas constitucionais.

João Lourenço, por via de Angola, exerce a presidência do Órgão de Cooperação Política, de Defesa e Segurança da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), organização subregional de que os dois países são membros.

A situação política e militar no Lesotho agudizou-se a 5 de Setembro do ano transacto, quando o chefe do estado-maior do exército, general Khoantle Motsomotso, foi morto durante um tiroteio. No mesmo incidente, dois outros oficiais, o general Bulane Sechele e o coronel Tefo Hashatsi, foram igualmente mortos.

A 2 de Dezembro do ano passado (2017), a SADC procedeu ao desdobramento de um contingente militar no âmbito da sua Missão de Contingência para o Lesotho, a pedido das autoridades locais.

O efectivo é composto por 217 militares, 162 dos quais de Angola. O Lesotho realizou eleições antecipadas a 3 de Junho de 2017, que foram ganhas por Thomas Thabane, com o seu partido Convenção dos basoto (ABC), tendo conseguido 48 dos 120 lugares, no Parlamento local, à frente da formação política do primeiro-ministro cessante, Pakathila Mosisili, que obteve 30 lugares.Para conseguir a maioria absoluta, o seu partido negociou com a Aliança Democrática, o partido Nacional basoto e o Congresso Reformado do Lesotho, fazendo uma coligação com 63 lugares. Thomas Thabane reconquistou o poder, três anos após ter sido destituído por uma tentativa de golpe de Estado desencadeado pelas Forças Armadas.

João Lourenço recebe presidente do banco VTB da Rússia

Numa outra audiência, o Chefe de Estado angolano recebeu igualmente numa outra audiência ao presidente do banco VTB da Rússia, Andrey Kostiv com que abordou questões ligadas ao funcionamento da instituição. Angola viu inaugurada, em Março de 2007 o VTB-África, uma extensão do banco russo.

Naquela altura, o capital social do “braço” africano do VTB estava avaliado em USD 10 milhões de dólares, 66% dos quais russos e 34% angolanos. A constituição do banco VTB-África foi formalmente autorizada pelo Governo angolano a 25 de Outubro de 2006.