ENSA cresce 12 %

Resultados provisórios da Empresa Nacional de Seguros indicam que, em 2017, a seguradora poderá ter atingido um crescimento na ordem dos 12% em prémios emitidos. Em 2016 crescera 11%

Por: Hélder Caculo

Até Setembro de 2017 a maior seguradora do país registava um resultado líquido de Kz 669 mil milhões. Apesar do actual contexto macroeconómico, o seu presidente revelou que os resultados provisórios do ano passado apontam para um crescimento na ordem dos 12%. Manuel Gonçalves, que falava ontem, em conferência de imprensa, explicou que decorre o processo de fecho de contas do ano 2017, a serem apresentadas no próximo mês de Março. Entretanto, avançou que até o mês de Setembro de 2017 a ENSA emitiu prémios brutos avaliados em Kz 37 mil milhões.

O gestor explicou que o montante alcançado resulta dos 41 produtos emitidos pela seguradora, sendo o seguro de saúde o mais concorrido, representando cerca de 58,5% das apólices. Seguem- se os seguros de acidentes de trabalho (20.7%), automóvel (7,5%) e aéreo (3,0%). Contribuição para o PIB continua insignificante Falando sobre a evolução do sector segurador Manuel Gonçalves referiu que a taxa de penetração do sector no país continua abaixo de 1% do Produto Interno Bruto (PIB), o que deve constituir uma preocupação para as seguradoras nacionais.

Para o gestor, a qualidade dos quadros do sector, assim como a aposta cada vez maior na cultura de seguros, estão entre os principais desafios do mercado segurador angolano. “É fundamental que as seguradoras expandam os serviços em todo o país. Como sabemos, depois do paludismo, os acidentes rodoviários são as principais causas de morte no país. Portanto, os seguros salvam vidas e co-brem riscos.

É por isso que temos de desenvolver a cultura de seguros em toda a nossa sociedade”, frisou. Actualmente o país conta com 26 seguradoras, sendo a ENSA a maior, com uma quota de mercado de 40%. Mas a maioria dos angolanos ainda desconhece as vantagens dos seguros. ENSAprepara seguro agrícola O PCA da ENSA disse que a seguradora tem as condições criadas para emissão do seguro agrícola.

Entretanto, defende a participação do Estado, tendo em conta os riscos que o seguro contempla. “Avançámos com o seguro agrícola porque consideramos que a agricultura é fundamental para a diversificação económica, mas também consideramos que, pelas suas características, o país deveria ter um seguro agrícola com a participação Estado“, considerou, Manuel Gonçalves.

A melhoria da qualidade de serviços e o desenvolvimento do capital humano estão entre os principais pilares da estratégia de actuação da seguradora para os próximos cinco anos. Em 2016 os prémios brutos emitidos pela ENSA atingiram Kz 47.689 milhões, um crescimento de 11% comparativamente aos resultados de 2015 (Kz 42.890 milhões).

O resultado líquido atingido em 2016 foi de mais de Kz 1.000 milhões, um crescimento de 44% em relação a 2015 (Kz 705 mil milhões). Para 2017 a previsão é de que o resultado líquido se situe na ordem dos Kz 1.000 milhões.