Familiares das “vítimas da Black Star” sem rastos do causador do acidente

A Polícia garante que o caso já foi remetido à Procuradoria- Geral da República e segue os seus trâmites normais. Entretanto, Célio Gonçalves, o sobrevivente do acidente, encontra-se fora de perigo

Por: Domingos Faia

Os familiares dos irmãos Célio e Adir Gonçalves, atropelados por um amigo à saída da discoteca Black Star, em Luanda, no 1º dia do ano, revelaram ontem, a OPAÍS, que desconhecem o paredeiro do acusado. Adriano Gonçalves, pai das vítimas, disse que depois de o acusado, identificado apenas por Pastor, ter sido transferido do Comando Municipal de Viana, onde se encontrava registado com o processo número 002/18, para o Comando Provincial de Luanda, perderam o seu “rasto”.

Contou que dias depois do funeral, dirigiu-se ao Comando de Luanda para se inteirar sobre o andamento do processo, mas não obteve sucesso, embora tivesse recebido garantias dos investigadores de Viana que o acusado foi detido após o acidente. No entanto, de lá para cá já não tem havido contacto com o acusado e desconhecem o seu paradeiro.

Por sua vez, Mateus Rodrigues, director do Gabinete Institucional e Imprensa da delegação de Luanda do Ministério do Interior, refutou tal informação, alegando que o causador do acidente não se encontra foragido. Segundo o responsável, depois da ocorrência, o acusado foi detido e o seu processo transferido para a Procuradoria-geral da Republica, onde segue o seu trâmite normal, devendo, para o efeito, a família contactar este órgão para saber do desenrolar do caso.

“Enquanto agentes da ordem e tranquilidade pública, fizemos o nosso trabalho, que foi deter o acusado. Os outros passos são da responsabilidade da Procuradoriageral da República. Para qualquer informação é este órgão que a família das vítimas deve contactar”, apontou.

Sobrevivente fora de perigo Célio Gonçalves, o sobrevivente do acidente que vitimou mortalmente o seu irmão, Adir Gonçalves, encontra-se actualmente fora de perigo, depois de passar mais de uma semana em coma profun- Domingos Bento da no Hospital Militar.

Adriano Gonçalves, o pai das vítimas, declarou, a OPAÍS que Célio foi submetido a uma cirurgia no maxilar e está neste momento a aguardar uma outra no braço, que deverá ser feita nos próximos dias. Segundo pai, o estado clínico do seu filho evolui de forma salutar, para agrado da família e amigos, que aguardam pela sua total recuperação, embora ainda não existam previsões de alta.

De recordar que o causador do acidente, Pastor, é amigo das vítimas e foi o mesmo que convidou os irmãos para uma festa de celebração da passagem de ano na discoteca Black Star, em Viana.

No fim do evento, por volta das 07 horas, Pastor ter-se-á desentendido com um desconhecido, o que provocou uma confusão que levou os dois irmãos a tentar apaziguar os ânimos.

No entanto, enquanto se evitava a briga, Pastor subiu na viatura, de marca Toyota Prado, e deu início a uma sessão de racha, tendo de seguida embatido contra Célio e Edir. Este ultimo não resistiu ao embate e teve morte imediata. Célio foi transferido para o hospital Militar.