Projecto “Aprendizagem para todos” reúne cerca de 170 professores no Huambo

O projecto “Aprendizagem para todos” é uma iniciativa do Ministério da Educação financiada pelo Banco Mundial, com o propósito de auxiliar os professores das disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa a superarem as suas debilidades na transmissão dos conteúdos

Cerca de 170 professores e gestores escolares das províncias de Benguela, Bié, Cuando Cubango e Huambo vão participar, durante duas semanas, num seminário de superação, segundo Leandro Ngonga Mário Lopes, chefe da secção do Ensino Geral da direcção provincial da Educação do Huambo. Em entrevista à Rádio Mais, esclareceu que na primeira semana serão aprofundados temas relacionados com “a diferenciação pedagógica na sala de aula” e, na segunda semana, aspectos relativos “ à avaliação em sala de aula”.

Leandro Lopes explicou que o projecto visa a capacitação de professores e gestores, resulta de uma ampla reflexão do Ministério da Educação (MED) em relação às debilidades apresentadas por estes profissionais no desempenho das suas funções. “Este projecto do MED, que é financiado pelo Banco Mundial,arrancou o ano passado, em todo país, com a coopção de formadores locais em matérias relacionadas com as disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa. Este ano pretendemos fazer o mesmo exercício”, frisou.

Acrescentou de seguida que com isso pretende-se “melhorar as competências dos professores, melhorar a sua actuação em sala de aulas bem como o funcionamento de Zonas de Influência Pedagógica (ZIP) que têm por objectivo capacitar frequentemente os professores em serviço”.

De acordo com o gestor escolar, os participantes nesta acção formativa de âmbito regional terão a responsabilidade de, posteriormente, multiplicar essas acções nos seus locais de trabalho. Tais formações serão ministradas de forma intercalada, em Maio e em Agosto, nas duas pausas pedagógicas. A nível da província do Huambo, por ser a anfitriã, foram selecionadas 57 escolas pertencentes a 11 Zonas de Influência Pedagógica (ZIP), isto é, dos 11 municípios que a compõem.

“Cada município estará representado por quatro a três professores, que representarão a bolsa de formação do município e terão a responsabilidade de multiplicar essa formação a nível da sua área de jurisdição”, frisou. Reconheceu, por outro lado, que embora haja um grande esforço no sentido de se sanar as debilidades que se registam na transmissão de conhecimento das disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa, ainda há professores nestas condições.

O chefe da secção do ensino geral da direcção provincial da Educação do Huambo citou, como prova disso, que alguns alunos quando terminam o ciclo de aprendizagem primário demonstram debilidade nestas materiais.