Programa de apoio ao sector pesqueiro reúne empresários em Benguela

O Ministério das Pescas e do Mar promove, a partir de Segunda-feira, 29, na cidade da Baía Farta, em Benguela, um encontro alargado de auscultação ao empresariado do sector das pescas das seis províncias costeiras

Por: Constantino Eduardo, Em Benguela

Com a duração de dois dias, o encontro reunirá empresários do Cuanza-Sul, Namibe, Luanda, Uíge e Bengo e analisará o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI). A ser presidido pela titular da pasta, Victória de Barros Neto, a reunião, organizada em coordenação com o Ministério da Economia e Planeamento, contará ainda com a presença dos presidentes das associações de pesca e do sal e empresários das seis províncias do sector pesqueiro.

O encontro acontece quatro dias depois de o governador provincial de Benguela, Rui Falcão, ter radiografado o sector das pescas na província, oportunidade aproveitada pelos industriais que colocaram ao governante as suas preocupações, sobretudo as ligadas com a energia eléctrica.

Durante a sua visita às unidades piscatórias da Baía-Farta e da Caotinha, o governante recebeu com desagrado a informação sobre a transgressão marítima que se regista na costa de Benguela por industriais chineses que estão a capturar peixe abaixo das 6 milhas. Sector precisa de 60 megawatts No final da visita, o governador provincial de Benguela revelou à imprensa que o sector pesqueiro tem uma necessidade de energia na ordem dos 60 megawatts, mas o seu Governo não tem uma solução rápida à vista.

Num encontro que manteve recentemente com académicos, Rui Falcão referiu que a província de Benguela vai beneficiar, ainda este ano, de 80 megawatts provenientes da Barragem de Laúca, no âmbito da recepção do Sistema Norte. Com este incremento, o governante acredita que a província poderá ver minimizada a questão do fornecimento de energia eléctrica, podendo atender igualmente ao sector industrial que se debate com este crónico problema. Ministra das Pescas e do Mar, Victória de Barros Neto