loader

Avaria na morgue do Kuvango leva criança a ser enterrada sem presença dos familiares

A Administração Municipal do Kuvango procedeu, ontem, com a colaboração da igreja Católica, ao enterro de uma criança que faleceu no último fim-de-semana no Comboio que fazia o trajecto Menongue-Lubango Ngueve Juliana, de 8 anos, faleceu por volta das 9 horas de Sábado, vinda da província do Cuando Cubango, em companhia da sua mãe Lita Kanene. Ela contou à nossa reportagem que os dois filhos que a acompanhavam queixavam-se de dores de cabeça e febres.

A pequena Ngueve Juliana não resistiu, acabando por morrer durante a viagem para a província da Huíla. No mesmo dia, o outro filho teve de ser internado nos cuidados intensivos do Hospital Municipal do Kuvango.

O chefe do Banco de Urgências do Hospital Municipal do Kuvango, Nkama Sivi Filipe, disse a OPAÍS que depois de feita a perícia medica no cadáver da criança detetouse que a morte foi causada por malária. “Fizemos no Sábado, pelas 10 horas 30 minutos, em parceria com o Serviço de Investigação Criminal a remoção do cadáver de uma criança que faleceu no comboio, durante a viagem de Menongue ao Lubango”, explicou.

Numa entrevista concedida a este jornal, Nkama Sivi Filipe fez saber que, em função da avaria na única câmara frigorífica da morgue do Hospital Municipal do Kuvango, a Administração local, em colaboração com a Igreja Católica, foi obrigada a enterrar a criança apenas na presença da mãe.

“Nós enterramos hoje (segundafeira) aquela criança que faleceu Sábado passado no comboio que vinha de Menongue, tivemos de enterrar hoje, porque o corpo estava a deteriorar-se, em função João Katombela, na Huíla da avaria da câmara frigorífica da morgue” revelou. Entretanto, a outra criança já se encontra fora de perigo, sendo que foi transferida para o Hospital Municipal da Matala, ainda ontem, onde vai continuar a merecer acompanhamento médico .

Últimas Notícias