Editorial: Um Comité Central muito grande

A FNLA vai a congresso um dia destes, mas antes tem agendada uma reunião do Comité Central para a qual estão convocados todos os seus membros. Quando se fala de membros, aqui, está-se a falar de militantes. É difícil de entender, mas é isso o que dizem os dirigentes do partido.

Ou se teme que o Comité Central saído do último congresso não compareça e assim já se mascararia a ausência, ou ser militante partido faz qualquer um pertencer ao seu Comité Central. Seja como for, e se calhar haverá alguma explicação para um Comité Central tão alargado ou eventualmente terá havido um erro de comunicação, uma vez mais volta-se a falar de reconciliação interna, mas não se expressa de viva voz e de forma compreensível que se está a ensaiar uma aproximação à ala de Ngola Kabango.

Logo, qualquer reconciliação que se ensaie na FNLA nunca será completa sem aquele lado também. Ou seja, se não houver inteligência e coragem, a aceleração para o fim será apenas acentuada, se bem que provavelmente nem a pacificação interna vá já a tempo de salvar o partido.