Ano lectivo 2018 arranca hoje em Moçâmedes

Em entrevista a OPAÍS, a governante disse que o sector que dirige está a estudar a possibilidade de realizar este concurso extraordinário ainda este ano, para dar resposta à demanda.

POR: João Katombela, enviado ao Namibe

Maria Cândida Teixeira disse que o Governo está preocupado com o elevado índice de crianças fora do sistema do ensino, em todo o país, razão por que se está a trabalhar para se encontrar uma solução sobre esta situação. Explicou que, para além das zonas urbanas que têm maior concentração populacional estudantil, a situação está a ser também vivida em todas as províncias, sobretudo nas áreas recônditas, em que os professores abandonam as escolas, deixando um elevado número de alunos sem estudar.

Para reverter o quadro, segundo a governante, que se encontra em Moçâmedes, onde hoje é aberto o ano lectivo 2018, pelo Presidente da República, João Lourenço, passa pela formação constante de professores. Maria Cândida Teixeira disse que o Governo reconhece a carência de escolas, particularmente no interior do país, onde ainda existam crianças a estudar debaixo de árvores, mas que está-se a trabalhar para melhorar esta situação. “Houve muita reconstrução, fizeram-se muitas escolas, mas mesmo assim continuam sendo insuficientes para aquilo que são as necessidades, o Governo continua a envidar esforços para se alterar essa realidade” garantiu.

Alunos matriculados

A ministra informou que este ano foram matriculadas 10 milhões de crianças em todo o país, do primário ao segundo ciclos de ensino, sendo que o ensino primário vai beneficiar de material didáctico gratuito. Durante a sua estada na cidade de Moçâmedes, a ministra da Educação visitou algumas escolas do município capital do Namibe, tendo-se inteirado do seu funcionamento.