Editorial: A novidade escola

Quem passa dos quarente anos de idade, certamente que se lembrará da ansiedade que antecedia o início do ano lectivo. Agora não. As escolas levam semanas para ganharem vida e entrarem no seu funcionamento normal.

Se não faltam os alunos, faltam os professores, ou os funcionários administrativos. A escola não parece mais o local preferido da criançada, de convívio, de aprendizagem. Alguém deveria estudar as causas do absentismo no início de cada ano lectivo. Afinal, para a criança de hoje, o que é a escola? Quem lá está? Por que permanecer nela?

Provavelmente o problema estará na própria escola, no modelo, no sistema, no ambiente. Não espanta que ao longo dos últimos dois meses quando se falasse de escolas se falava da corrupção, do roubo, da degradação. O absentismo escolar no início do ano lectivo é sinal de alguma coisa muito grave, seguramente.