Menos palavras, mais ações

Apesar de os especialistas afirmarem que as vítimas da violência continuam a ser maioritariamente jovens, negros e pobres, também alertam para mudanças nas zonas vermelhas. “A maior novidade não é a violência no Rio ou em São Paulo, e . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta