Suspeito dos disparos contra estrangeiros na Itália é identificado

Identificado como Luca Traini, de 28 anos, o suspeito foi candidato da Liga do Norte, partido de ultradireita, antiimigração e antieuropeu, nas eleições administrativas numa localidade da região.

A imprensa destacou que todas as vítimas baleadas são “pessoas de cor”. “Os feridos confirmados são de nacionalidade estrangeira”, informou a Polícia no Twitter. Um suspeito de ter aberto fogo de dentro de um carro contra um grupo de estrangeiros em Macerata, cidade do centro-Oeste da Itália, foi detido, informou a Polícia no Sábado.

A Polícia encontrou uma pistola no veículos do suposto atirador que, segundo a imprensa, admitiu os factos. Nenhuma ligação foi ainda estabelecida pela policia entre este tiroteio e uma notícia amplamente coberta há dois dias pela imprensa nacional. Um traficante de drogas nigeriano, candidato ao asilo, foi preso na mesma cidade de Macerata por suspeita do assassinato de uma italiana de 18 anos, cujo corpo foi encontrado na Quarta-feira cortado em pedaços em várias malas. A Polícia encontrou Sexta-feira na casa desse nigeriano de 29 anos roupas da vítima e uma faca com traços de sangue.

“Viva a Itália”

O jovem italiano de 28 anos saiu do carro com a bandeira tricolor sobre os ombros e fez a saudação fascista, quando foi detido, gritando “viva a Itália” Cinco homens e uma mulher foram atingidos a tiro no Sábado de manhã no centro da cidade de Macerata. Horas depois, a Polícia deteve um homem italiano de 28 anos, suspeito de ser o atirador, avançou a agência ANSA, que reafirmava que aquele terá feito a saudação fascista quando foi detido. A ANSA relatou que o suspeito saiu do carro com a bandeira tricolor sobre os ombros e que quando a Polícia chegou admitiu ter sido o autor dos disparos, sem apresentar resistência.

Os tiros foram disparados a partir de um Alfa Romeo 147 no centro de Macerata, gerando pânico na rua. Segundo o presidente da Câmara, todos os feridos são estrangeiros e negros e um está em estado grave. Romano Carancini chegou a pedir à população para se manter em casa, mas levantou o pedido horas depois. Macerata, uma cidade com cerca de 43 mil habitantes, foi palco na semana passada do assassinato de uma jovem italiana, Pamela Mastropietro, cujos restos desmembrados foram encontrados dentro de duas malas. O principal suspeito é um cidadão nigeriano e na últimas horas a página de Facebook da mãe da vítima encheu-se de comentários racistas, segundo a ANSA.