Pai mata bebé de 9 meses “por falta de sustento”

O balanço da Polícia em Benguela, correspondente ao último fim-de-semana prolongado, aponta para quase três dezenas de crimes registados, dentre eles a morte de um bebé de 9 meses de idade, asfixiado supostamente pelo próprio pai, alegadamente por não reunir condições para sustentá-lo.

POR: Zuleide de Carvalho, em Benguela

O período em análise refere- se aos dias de Sexta- feira, Sábado, Domingo e Segunda-feira, perfazendo-se 96 horas, tempo durante o qual Benguela esteve mais agitada que o normal, por ter recebido alguns visitantes, dada a ponte do feriado. Na época em causa, a Polícia Nacional em Benguela registou cinco mortes. Três resultantes de acidentes rodoviários e dois homicídios qualificados, com maior realce a morte de um bebé de 9 meses de idade, vítima de asfixia.

Sobre este infeliz acontecimento, Pinto Caimbambo, porta-voz provincial da Polícia, declarou que o pai da criança, que não vivia com o filho, estando este sob tutela da mãe, decidiu “assassiná- lo porque não o conseguia sustentar”. O suposto homicida tem 23 anos de idade e confessou ter tirado a vida ao próprio filho Sábado, 3 de Fevereiro, no bairro 4 de Abril, município de Benguela. Segundo o porta-voz, a acção criminosa do indivíduo foi justificada à Polícia com recurso à desculpa de que “não queria que o filho crescesse a passar por necessidades extremas”, alegando não ter dinheiro para garantir-lhe o sustento.

Município sede lidera índice de criminalidade

Dos 10 municípios de Benguela, o município com o mesmo nome da província domina a criminalidade na base de dados da Polícia. Durante o fim-de-semana extenso, 29 crimes foram registados, dentre os quais 22 esclarecidos, com o resultado de 26 indivíduos detidos preventivamente. No município do Lobito, um cidadão foi detido por ofensas corporais voluntárias, com recurso a arma de fogo. Na captura, na residência do suspeito, foram encontradas outras 4 armas de fogo.

Já no âmbito da sinistralidade rodoviária, morreram três pessoas nas estradas de Benguela e outras 9 ficaram feridas, envolvidas em 10 acidentes, sendo o excesso de velocidade a principal causa, culminando em mortes por atropelamento. Quanto ao cidadão Nelson de Pina, noticiado ontem pelo jornal OPAÍS, assassinado com uma facada no coração, supostamente pela sua esposa, o superintendente Caimbambo declarou que a acusada, Ana Sousa, informou que era vítima de violência doméstica e que no dia do homicídio foi agredida, pelo que agiu em defesa própria, apesar de, aparentemente, a Polícia não ter vislumbrado indícios de agressão.