Sandra Poulson apresenta “Luanda – Avenida dos Combatentes” hoje no Centro Cultural Português

O livro editado pelo Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora (CEMD), já foi lançado em Dezembro do ano transacto em Lisboa, na sede da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA).

POR: Augusto Nunes

“Luanda – Avenida dos Combatentes”, a nova obra literária da autoria de Sandra Poulson, será apresentada hoje, às 18 horas, no auditório Pepetela do Camões – Centro Cultural Português em Luanda, pela escritora e docente universitária Ana Paula Moura. O livro com prefácio do escritor Delmar Maia Gonçalves, presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, reúne um conjunto de crónicas, num estilo leve e fluído.

Faz uma viagem pelo quotidiano da cidade de Luanda, cruzando a narrativa com a Avenida dos Combatentes – actualmente, Avenida Comandante Valódia, um dos eixos rodoviários centrais da cidade, que dá nome ao livro. Ao comentar a obra, o autor do prefácio, Delmar Maia Gonçalves, referiu que, “por vezes identificamos silêncios nestas crónicas que respiram Angola e angolanidade, mas de um silêncio que grita, que alerta, apela, ensina, instruí, planta, corta, abraça, abarca, congrega, desafia, interpela, revolve, fermenta, entranha, canta, e colherá os seus frutos, proporcionando a impossibilidade da indiferença”.

O escritor acrescenta que “a obra tem uma finalidade profundamente utilitária e quase sempre premeditada a agradar aos leitores dentro de um espaço sempre igual e com a mesma localização, criando-se assim no decurso dos dias, das semanas ou dos meses, uma grande familiaridade e cumplicidade íntima entre o escritor/cronista e todos os que o lêem. Realça que a cronista, com alma de poeta, demonstra toda a sua capacidade para elucidar-nos sobre a sua visão do mundo e a sua concepção da vida, que são largamente congregadoras, e um enorme contributo para a reflexão da sociedade e a sua harmonização.

Percurso da autora

Sandra Poulson é natural de Luanda, onde nasceu a 3 de Julho de 1962. Ainda muito jovem foi locutora da Rádio Nacional de Angola. No princípio da 80, estudou no Instituto Superior de Ciências Educativas em Lisboa, no primeiro curso do Magistério Primário. Trabalhou em várias empresas em Portugal e em Angola, onde licenciou-se em Direito, na Universidade Católica de Angola. Actualmente é Advogada de profissão, com escritório em Luanda. É coordenada da DAR, Distribuição de Amor e Riqueza (espiritual), grupo criado por si, em que organiza acções de solidariedade social, nomeadamente apetrechamento de pequenas bibliotecas em escolas, seminários, hospitais e associações, em municípios longínquos do território angolano. Participa em várias antologias e revistas com textos, sobre a tradição oral angolana, resultado da sua pesquisa. É colabora do jornal angolano de Artes e Letras, Cultura.