UCCLA e Embaixada de Angola exibem exposição “Artes Mirabillis” em Lisboa

A mostra, com a curadoria de Lino Damião, conta com a participação de 55 artistas angolanos e foi inaugurada ontem, às 18 horas, na Galeria de Artes da UCCLA, em Lisboa. É a primeira do ano a homenagear a Cultura angolana, segundo relatos da organização

Por: Augusto Nunes

Vinte obras de escultura compõem a exposição colectiva Artes Mirabillis, patente desde Quarta-feira, na Galeria de Artes da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), em Lisboa.

A mostra, promovida pela UCCLA em colaboração com a Embaixada de Angola em Lisboa, é constituída por 20 peças de grande valor etnográfico, que marca a celebração do 4 de Fevereiro, Dia Lino Damião, curador da exposição Artes Mirabillis do Início da Luta Armada de Libertação Nacional e o 4 de Abril, Dia da Paz e da Reconciliação Nacional, e ficará patente ao público até 4 de Abril.

Artes Mirabillis é a primeira exposição que a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) leva a efeito este ano, homenageando a cultura angolana no início de um novo ciclo político, económico e social, com os olhos postos no futuro e na entreajuda dos povos de língua oficial.

A colecção, segundo a organização, surgiu da iniciativa do secretário- geral da UCCLA, Vitor Ramalho, que tendo em atenção o novo ciclo que se abriu em Angola, depois das eleições de 23 de Agosto de 2017, pareceu importante divulgar a Cultura angolana, com 55 pintores consagrados e 20 esculturas, gentilmente cedidas pelo Comendador Joe Berardo.

Outras exposições

Segundo a organização, a UCCLA promoveu durante o ano transacto duas exposições: a primeira “Conexões Afro-Ibero-Americanas 2.01”, que contou com a presença de importantes autores de Angola, Cabo Verde, Guiné, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Completam esta lista, a Península Ibérica (Portugal e Espanha), Brasil, Chile, Argentina e Cuba, dos quais Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny, Salvador Dalí, Pablo Picasso, Joan Miró, Malangatana, Wifredo Lam, Marcelo Grassmann, Fernando Botero, Eduardo Nery, Mito, entre outros.

A segunda exposição designouse “Artistas Unidos contra a Fome” realizada no âmbito da campanha “Juntos contra a Fome” da CPLP e que teve por objectivo angariar fundos para a viabilização de projectos que contribuam para a erradicação da fome na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O acervo foi constituído por peças doadas por mais de 50 artistas dos nove Estados-Membros da CPLP. Recorde-se que a mostra Artes Mirabillis é co-organizada pela Embaixada de Angola com o apoio do Ministério da Cultura de Angola e da Câmara Municipal de Lisboa.