Comboio da RDC com minério para Porto do Lobito

Um comboio inaugural carregado com 50 contentores de manganês proveniente da região mineira de Kisenge, província de Katanga, República Democrática do Congo (RDC), chega a 19 deste mês ao município fronteiriço do Luau, província do Moxico, leste de Angola.

Para a recepção do minério, a direcção do Caminho de Ferro de Benguela já enviou comboios carregados de contentores para acondicionar e transportar o manganês até ao porto do Lobito, no dia 20, para posterior comercialização. Esse carregamento concretiza- se depois da conformação do ramal do CFB até à ponte ferroviária transfronteiriça sobre o rio Luau. O CFB (Angola) e a Sociedade Nacional dos Caminhos-de- Ferro do Congo (SNCC) tiveram que trabalhar para adequar os ramais ferroviários por se encontrarem desajustados.

O vice-governador provincial para o sector político, social e económico, Carlos Alberto Masseca, a esse propósito, disse à Angop que com a reabertura das ligações ferroviárias entre o CFB arq uivo /opais e CFC, estão criadas as condições para a se transformar a província do Moxico num grande entreposto logístico. O entreposto logístico do Moxico, na visão do responsável, será apoiado quer para exportações da RDCongo e da Zâmbia como para a exportação de produtos angolanos para a região central de África.

A reactivação da via ferroviária internacional lança um desafio ao Moxico de dinamização agrícola e agro-industrial, no sentido de se produzir alimentos para o consumo na província e no país, e o excedente ser exportado à região central do continente. Com isso, prognostica, poderá se criar grandes centros de desenvolvimento logístico no sector da indústria, agricultura, silvicultura e outros, para se aproveitar a posição geo-estratégica em que o Moxico se encontra.

Quanto ao município do Luau, Masseca revelou a existência de programas do governo que visam criar uma ampla plataforma logística local, para viabilizar a transportação e dinamizar a diversificação económica. “Da parte de Angola, como é sabido, o processo de reconstrução do CFB já terminou faz tempo e está à disposição dos países vizinhos para poder utilizar”, rematou. O município do Luau, oriente de Angola, é o principal ponto de ligação entre o CFB e a Sociedade Nacional dos Caminhos-de- Ferro do Congo (SNCC), possuindo a primeira estação ferroviária do leste ao litoral do país, na cidade do Lobito, província de Benguela, numa extensão de 1.344 quilómetros. Através das linhas férreas da Zâmbia é possível chegar à cidade de Beira, em Moçambique, e a Dar-es-Salaam, na Tanzânia.