UE apoia CEDEAO face à crise política na Guiné- Bissau

A União Europeia (UE), preocupada com a crise política na Guiné-Bissau, apoia a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) confrontada com a crise política na Guiné-Bissau, soube-se de fonte oficial em Bruxelas.

Segundo um comunicado do Serviço Europeu para a Acção Externa (SEAE) que, no termo duma recente missão neste país, decidiu impor sanções a várias pessoas e organizações “que minam o processo de resolução desta crise”.

«A situação política crítica na Guiné- Bissau ameaça a sua ordem institucional e democrática com implicações graves para a estabilidade da sub-região. A UE apoia também as conclusões da missão ministerial da CEDEAO na Guiné- Bissau e partilha as preocupações da subregião pela deterioração da situação dos direitos políticos”, lê-se na nota.

A Guiné – Bissau está gangrenada por narcotraficantes que impedem qualquer resolução pacífica da crise política no país, afirma um diplomata europeu.