Efectivos do MININT em formação sobre protecção de grupos vulneráveis

O curso terá a duração de quatro dias e visa dotar os efectivos de mecanismos sobretudo na prevenção e redução da epidemia do VI H, protecção contra a violência e promoção dos direitos humanos

Por: Iracelma Kaliengue

Técnicos do Ministério do Interior ligados às áreas da violência doméstica e de educação cívica participam desde Segunda- feira, em Luanda, numa acção formativa que aborda “o papel da Polícia na protecção de grupos vulneráveis no contexto da luta contra o VIH/SIDA” A formação resulta de um convénio entre o Ministério do Interior e o projecto Linkages, no âmbito de um acordo de cooperação financiado pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Fundo global.

Na abertura do evento, o secretário de Estado para o Asseguramento do Ministério do Interior, Hermenegildo Félix, disse que o acordo demonstra o interesse do seu pelouro na busca de soluções destinadas a mitigar a disseminação do VIH/SIDA em Angola.

“A Polícia desempenha um papel crucial nas comunidades, sendo responsável por proteger os cidadãos, devendo comprometer-se, hoje, a materializar as medidas de prevenção contra o VIH/SIDA, defendendo a fidelidade, abstinência e o uso de preservativos como formas de travar a rápida propagação da doença nas comunidades”, sublinhou.

Adiantou ainda que a acção formativa tem por objectivo fortalecer o entendimento da corporação sobre a importante ligação entre a protecção de pessoas pertencentes a grupos vulneráveis, a fim de contribuir no combate e na redução da transmissão do VIH/SIDA.

Por seu turno, o director do PNUD e Fundo Global em Angola, Henrik Fredborg Larsen, a formação marca mais um passo importante na abordagem integrada que envolve o acesso universal à saúde, redução da epidemia do VIH, protecção contra a violência e promoção dos direitos humanos, numa perspectiva comum de erradicação da pobreza e dos seus efeitos.

Disse ainda que o Ministério do Interior, em particular a Polícia Nacional, é um actor incontornável nesta abordagem sobre o seu papel de protecção da população e pela proximidade dos seus agentes dos cidadãos. Henrik Larsen sublinhou que, no contexto do VIH, as populações chave ou vulneráveis apresentam entre 40 a 50% de todas as infecções do vírus em todo mundo.

Aclarou que o curso visa formar os efectivos visando eliminar barreiras sociais, legais e culturais, para garantir o acesso das populações aos serviços de Saúde e de Justiça, bem como melhorar a abordagem relativamente à defesa e protecção física, moral e jurídica das pessoas que constituem os grupos vulneráveis.