Desportivo da Huíla saboreia primeira vitória

Depois de vencer ontem, por 3-0, o Cuando Cubango FC, os militares da Região Sul ascenderam com cinco pontos à quarta posição do Girabola Zap, Campeonato Nacional

Por: João Katombela, na Huíla

O Desportivo da Huíla (CDH) saboreou na tarde de ontem a primeira vitória do Campeonato Nacional da primeira divisão no Estádio do Ferroviário, ao vencer por 3-1 ao Cuando Cubango FC.

Nos primeiros 45 minutos do jogo, os comandados de Mário Soares entraram com uma certa superioridade em termos de posse de bola e, nesse andar, aos 12 minutos a bola foi à mão de um dos defensores da equipa tutelada pela Casa Militar. Atento à jogada, Yuri Melo, arbitro que viajou da província de Malange, sancionou o lance com uma grande penalidade.

Chamado a cobrar, o camisola 27,Bruno, atirou a bola para o fundo da baliza defendida por Rochana. Com a cobrança da grande penalidade estava assim inaugurado o marcador no jogo que marca o prosseguimento da terceira jornada do Girabola Zap.

O resultado animou o conjunto militar, a pontos de aos 19 minutos, num ataque combinado, o árbitro ter anulado o golo apontado por Mendes, uma atitude questionada por muitos dos espectadores pelo facto de não ter havido nada de ilícito no respetivo lance.

A chuva miúda, que caiu sobre a cidade do Lubango na tarde deste Domingo, proporcionou aos artistas da bola um bom clima para a prática do futebol, mas também trouxe várias contrariedades para as duas equipas, em função da relva que estava escorregadia, dificultando desta forma o domínio da bola.

Os pupilos de Abel da Conceição, técnico principal do Cuando Cubango Futebol Clube, não cruzaram os braços e, no decorrer do minuto 20 o avançado Paulucho, numa jogada de mestre, passou por todos os defesas dos militares e com classe bateu o guarda-redes Kissi, deixando-o sem qualquer hipótese para a defesa.

Estava pois estabelecida a igualdade Um pouco mais tarde, Mendes foi tocado bem próximo da zona de marcação de grande penalidade, ao que o juiz da partida sancionou com um livre directo, atitude que gerou uma troca de agressões entre os jogadores das duas equipas, tendo resultado na expulsão do defensor Paulito (5) do C.C. FC aos 40 minutos da primeira metade do jogo.

Volvidos 45 minutos do tempo regulamentar da partida, a equipa de arbitragem cedeu mais três minutos, para compensar as paralisações do jogo, mas no último minuto, Mendes (19) do CDH, cara a cara com o guarda-rede, falha aquele que poderia ser o golo do desempate. No reatamento da partida, a equipa que viajou de Menongue entrou com um certo conforto, com maior posse de bola apesar da inferioridade numérica dos seus atletas.

Aos 80 minutos do jogo, numa jogada de contra-ataque, Elias (15) do CDH visou a baliza adversária fazendo o golo, proporcionando assim um resultado traiçoeiro a cajulgar pelos argumentos apresentados pela equipa adversária. Malamba foi chamado do banco por Mário Soares para resolver a partida, o que fez com delicadeza aos 87 minutos, consolidando a vitória da sua equipa numa combinação com Nandinho que também saltou do banco dos suplentes.

Voz dos treinadores

O treinador militar disse que o resultado espelha os longos dias de trabalho e é animador, tendo em conta o próximo adversário. Por outro lado, Mário Soares criticou duramente a equipa de arbitragem, que no seu entender contribuiu para a fraca qualidade do jogo.

“É uma vitória normal, tendo em conta aquilo que foi a nossa postura dentro do campo e a dinâmica do jogo que nós imprimimos, mas ainda assim consideramos que poderíamos ter feito um jogo melhor, brindando este público com um resultado melhor”, disse. J á o treinador do Cuando Cubango Futebol Clube, Abel da Conceição, atribuiu o mau resultado da sua equipa a todo o quarteto de árbitros, que, para si, foram “batoteiros”.

Campeão nacional estreia-se Quarta-feira

O 1º de Agosto, campeão nacional, defronta hoje às 16H00 o Progresso do Sambizanga no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, partida referente à primeira jornada do Girabola Zap. Campeonato Nacional. Deste modo, o “velho clássico” não se realizou na data prevista devido ao envolvimento da equipa central das Forças Armadas Angolanas nas Afrotaças. Por este facto, os militares preparam a estreia algo motivados, porque eliminaram o Plantinum do Zimbabwe, por 3-0 e 2-1, para a Liga dos Campeões Africanos. Ainda assim, os comandados de Zoran Maki terão que redobrar os esforços para começar a defesa do título com o pé direito.