“Boa Vida” investe mais de USD 500 milhões em projectos habitacionais

O grupo actua em diversas áreas de actividade, como a educação, mineração e agricultura, com investimentos avaliados em mais de USD 100 milhões. A construção civil é o seu core-business

Por: Borges Figueira

O projecto habitacional denominado “urbanização Boa Vida” em construção na Avenida Comandante Fidel Castro, em Luanda, já consumiu mais de USD 500 milhões na sua implementação, revelou o presidente do Conselho de Administração do Grupo “Boa Vida”, Tomasz Dowbor, em declarações ao Jornal OPAÍS.

O projecto, que está a ser erguido numa zona de 722 mil metros quadrados e que contempla cinco condomínios privados e independentes, com vivendas nas tipologia T3, T4 e T5 prontas a morar, com várias opções de serviços, teve o seu iniciou em 2006, com término previsto para 2020.

O responsável, que falava à margem da cerimónia de apresentação da nova identidade da firma que passou de Poltec Investimentos para “Grupo Boa Vida”, na ocasião, informou igualmente que a empresa cresceu muito nos últimos anos, com a implementação de novos projectos nas áreas da agricultura, mineração, pecuária, hotelaria e turismo entre outros negócios.

“Ao entrarmos num determinado negócio avaliamos o risco e as oportunidades, uma vez que o país está a atravessar um momento menos bom do ponto de vista económico. No meio desta crise encontrámos oportunidades que incentivaram a realização de diferentes investimentos no âmbito da diversificação da economia em curso no país”, disse.

Questionado sobre o valor investido nos diferentes sectores, o PCA do grupo Boa Vida informou que cada sector tem as suas particularidades de investimentos e o seu tempo. Todavia, realça que os sectores da agricultura, mineração bem como da indústria são os que mais oportunidades oferecem, tendo em conta a nossa dependência no que toca aos produtos do campo, devido à ausência da produção nacional.

De acordo com Tomasz Dowbor, a dependência do petróleo fez com que os outros sectores da economia nacional não se desenvolvessem como era desejado. O responsável do grupo Boa Vida avançou que é seu desejo apostar na diversificação dos investimentos a curto, médio e longo prazo, com vista a tornar a economia angolana cada vez mais robusta, uma vez que a diversificação ajuda a reduzir o risco e garantir o sucesso de todos os projectos que se vê que estão em desenvolvimento no país.

Actualmente, o grupo conta com um investimento no sector mineiro avaliado em USD 50 milhões, enquanto na agricultura o mesmo, já activo, está orçado em mais de USD 60 milhões.

Sobre o grupo Boa Vida

O Boa Vida é um grupo empresarial de direito angolano que tem como principal core business o ramo imobiliário e já construiu sete condomínios residenciais e de escritórios como Vereda das Flores, Real Park, Hípicus, Park Ville Vermont, Infinity I e II e o Sólida Plaza.

Actualmente está a construir a urbanização Boavida. No âmbito do processo da diversificação da economia angolana, o grupo tem em carteira novos investimentos, com destaque para as áreas de agricultura, pecuária, hotelaria e turismo, comércio geral, serviços diversos, saúde, educação e mineração.