Carta do leitor: Pela nossa saúde…

Caro director, Eu acho que podemos resolver o problema das estatísticas sobre o desemprego, caso as administrações municipais se empenhem nisso.

POR: Lopes Carneiro

Vejamos, temos vendedoras em toda a parte, as chamadas zungueiras, temos também as tias da ginguba torrada, do bombó assado, das magogas e dos pinchos. Estas pessoas todas estão todos os dias sujeitas à perseguição dos fiscais da administração. Mas também sabemos que elas têm clientela, que estão nestas actividades para sustentarem as suas famílias.

Portanto, e porque nunca sabemos em que condições elas armazenam a fruta, a ginguba, o pão, as carnes para a magoga e para os pinchos, até porque muitas nem electricidade têm em casa, nem higiene que afaste os ratos e as baratas, o ideal seria a administração aliar-se a elas em defesa da saúde pública que é um problema comum. A minha sugestão é que as administrações municipais promovam sessões de formação sobre higiene e manipulação de alimentos. Que estes cursos fossem permanentes.

Depois de formadas, elas teriam um cartão que as habilitasse a vender os seus produtos. Mesmo assim, estariam sempre sujeitas à inspecção nos locais de trabalho e de armazenamento dos produtos. Assim, além de apurar a quantidade de pessoas que exercem estas actividades, protege-se a saúde pública. Sem terem que pagar pela sua actividade desenvolvida, estariam apenas registadas como pessoas ocupadas não contributivas. Numa fase posterior, já se poderia chegar a fase que as levassem a contribuir com algum mínimo para a segurança social e para os impostos. Eu acredito que há soluções boas para a humanização e dignificação de todos os angolanos.