Angola quer estreitar cooperação com o Vaticano

A reactivação de uma comissão que tem por missão negociar com a Santa Sé um acordo-quadro e a abertura para expansão do sinal da Rádio Ecclésia em todo o território nacional, são, de acordo com o Presidente da República, alguns passos concretos dados por Angola no sentido de estreitar a cooperação com o Vaticano.

POR: Rila Berta

O Presidente da República, João Lourenço, conferiu posse ontem Quarta-feira, 7, aos novos embaixadores de Angola na Turquia, Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, Áustria e Estado do Vaticano. Durante a cerimónia, que decorreu no Salão Nobre da Cidade Alta, o Chefe de Estado afirmou estarem ultrapassados os constrangimentos que impediam a expansão do sinal da rádio Ecclésia em todo o território nacional. “Conseguimos ultrapassar uma situação que inexplicavelmente durava há anos”, disse.

O Presidente João Lourenço reiterou o compromisso do Executivo em dar continuidade ao projecto de requalificação da Muxima, que comporta a Basílica de Nossa Senhora da Muxima. Todavia, referiu estarem a ser envidados esforços para se conseguir verbas para tal. “Estamos a trabalhar no sentido de conseguir recursos financeiros para a concretização deste desejo, que é não só do Estado angolano, como da Igreja Católica”, garantiu. Na ocasião, o Chefe de Estado anunciou, também, ter sido reactivada a comissão que tem a missão de negociar com a Santa Sé o acordo quadro, um projecto que dura já algum tempo, e que permitirá o reconhecimento jurídico da Igreja e todas as suas instituições, dioceses e congregações religiosas e escolas católicas, de modo a que estas instituições sejam reconhecidas pelo Estado como entes jurídicos, bem como pelo trabalho que exercem nos domínios da Saúde e Educação.

Novos embaixadores O Presidente da República, João Lourenço, conferiu posse ontem, no Palácio Presidencial aos seguintes novos embaixadores: Teodolinda Rosa Rodrigues Coelho para o cargo de embaixadora de Angola acreditada na República da Áustria e representante permanente junto da Organização das Nações Unidas e outras Organizações Internacionais em Viena; José Gonçalves Martins Patrício, embaixador extraordinário e plenipotenciário na República da Turquia; Paulino Domingos Baptista, embaixador no Estado do Vaticano e Rui Jorge Carneiro Mangueira, para o cargo de embaixador no Reino da Grã Bretanha e Irlanda do Norte. Na ocasião, o Chefe de Estado disse acreditar que os diplomatas, recém- nomeados vão defender os interesses de Angola, junto dos referidos países aonde vão trabalhar.

No final da cerimónia, Paulino Baptista, novo embaixador de Angola no Vaticano referiu que o facto de o país ser maioritariamente católico, leva a que o Executivo estreite cada vez mais as linhas de cooperação entre o Estado angolano e o Estado do Vaticano. Por sua vez, José Patrício, novo embaixador de Angola na Turquia, afirmou trabalhar no sentido de procurar aprofundar as relações entre os dois países, levando em consideração o facto de a Turquia ser um país com algumas singularidades do ponto de vista geoestratégico, como o seu posicionamento como membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO).

“Tem um potencial grande para implementar a sua cooperação com a África, em particular com Angola”, disse. Reconheceu tratar-se de uma missão de desafios em que procurará materializar e concretizar os desígnios que o Executivo traçou. No mesmo dia, o Presidente da República, João Lourenço, recebeu em audiência o embaixador da China em Angola, Cui Aimin. O diplomata chinês não prestou declarações à imprensa. Entretanto, OPAÍS apurou terem sido discutidas questões de interesse comum no quadro das relações de amizade e cooperação existentes entre os dois países.