Impostos: Shakira suspeita de lesar fisco espanhol em mais de 10 milhões de euros

A cantora colombiana Shakira poderá enfrentar uma acusação por alegada fraude fiscal em Espanha, se o Ministério Público aceitar a denúncia enviada pela Agência Tributária em finais do ano passado. Em causa estão mais de 10 milhões de euros.

Em causa está o período entre 2012 e 2014, altura em que a cantora já estava a residir em Espanha e, por isso, deveria ter pago impostos ao fisco espanhol, o que não aconteceu. As Finanças detectaram indícios de crime fiscal e levaram a queixa ao Ministério Público, que iniciou a investigação, sendo os 10 milhões de euros apontados apenas uma quantia provisória. A Procuradoria-Geral está a investigar a queixa e toda a documentação fornecida pela defesa da artista.

Até agora, uma das buscas realizada teve como alvo as redes sociais da colombiana, que constatam que residia e passava a maior parte do tempo em Espanha desde 2011, altura em que se tornou pública a relação com Piqué. A lei espanhola estabelece que, se um cidadão passa, pelo menos, metade do ano (mais um dia) a morar em Espanha, é considerado residente fiscal, tendo que pagar os impostos. O “El País” afirma que, durante a inspecção, os advogados de Shakira “não se mostraram muito colaborantes”, de acordo com fontes da investigação, limitando- se a dizer que ela teria a sua residência no paraíso fiscal das Bahamas, onde tem uma casa desde 2004.

O Ministério Público está a considerar apenas o período 2012-2014, uma vez que o ano de 2011 já prescreveu em termos fiscais, mas que foi especialmente produtivo para a cantora: a taxa defraudada apenas nesse ano terá sido de 20 milhões de euros, o dobro dos três anos seguintes. Os advogados de Shakira já pagaram esse valor apenas porque tinham de regularizar a situação da artista antes de poder contestar a decisão da Agência Tributária. O resultado será divulgado nas próximas semanas, segundo o jornal “El País”, e ditará se Shakira é acusada por três crimes contra as finanças públicas.