Editorial: Fugas

Editorial: Fugas

Estamos a deixar de ser atraentes e interessantes. Ou seja, não somos nem rentáveis, nem estrategicamente importantes nas políticas de algumas companhias aéreas. Angola precisa de acelerar o seu processo de concessão de vistos, precisa de melhorar a sua imagem . . .


Registe-se como Assinante ou inicie a sua sessão para continuar a ler este artigo.
Entrar - Criar Conta