Pneus vendidos em Luanda aumentam perigo nas estradas

Pneus vendidos em Luanda aumentam perigo nas estradas

Segundo esta associação de defesa dos consumidores, muitos pneus não estão aptos para serem utilizados e constituem perigo para a vida humana

POR: Milton Manaça

O presidente da Associação Angolana dos Direitos do Consumidor (AADIC), Diógenes de Oliveira, disse ontem a OPAÍS que a qualidade dos pneus vendidos nas casas comerciais de Luanda está na origem de vários acidentes nas estradas. Diógenes de Oliveira referiu que a maioria desses produtos constituem um atentado à vida das pessoas e que parte das viaturas que capotam resultam do estoiramento de pneus, devendo- se à má qualidade desses produtos. “A maioria dos pneus comercializados em muitas avenidas de Luanda, nomeadamente na Avenida Fidel de Castro, Morro Bento, Viana e Cacuaco não estão aptos para o consumo”, frisou o advogado.

A AADIC acusa os comerciantes de venderem pneus sem data de validade, contrariando a Lei de Defesa do Consumidor que obriga, no artigo 20º, a que os produtos tenham informações claras em língua portuguesa sobre as suas características. Para o presidente da AADIC, é urgente a intervenção das autoridades, nomeadamente a inspecção do Ministério dos Transportes, Comércio, o Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) e a Procuradoria Geral da República (PGR) que, no seu entender, deveriam encerrar estes estabelecimentos e desencadear os devidos procedimentos civis e criminais.

Na qualidade de defensores dos consumidores, esta associação diz ter cumprido o seu papel e espera que o Estado faça também a sua parte, tanto em Luanda, como nas outras partes do país com existência dessas lojas. Por outro lado, a AADIC diz que muitos condutores desconhecem que os pneus têm um prazo de validade de até cinco anos, altura em que a borracha, com o passar do tempo, começa a ressecar, deixando-os mais vulneráveis a estouros e a desfazer a banda de rodagem.