Portugal com cerca de 30 empresas na Feira Internacional de Luanda

Portugal com cerca de 30 empresas na Feira Internacional de Luanda

Na 34ª edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA), o país europeu vai expor com 25 empresas de diversos ramos, no evento que regista um aumento na ordem dos 60%, avançou o director Nacional para a Economia, Competividade e Inovação do Ministério da Economia e Planeamento, Marcelino Pinto

POR: Patrícia de Oliveira

Na maior bolsa de negócios do país, que hoje começa , Portugal estará representado com mais de 25 empresas de diferentes ramos, enquanto os países que participam pela primeira vez são o Gana, a Rússia e o Japão. O Gana vai participar apenas com uma empresa ligada ao sector industrial, a Rússia também com uma empresa de mineração. O mesmo acontece com o Japão. Já o Brasil será o grande ausente da presente edição. Todavia, o número de expositores cresceu 60%, comparativamente com a edição anterior, que teve lugar na Baía de Luanda. Em termos de inovação, Marcelino Pinto destacou que no novo espaço, onde vai decorrer o evento, há maior comodidade para os visitantes, que poderão ter contacto directo com as unidades fabris.

No total, 11 fábricas estão identificadas para serem visitadas das 9 às 12 horas durante os quatro dias que irá decorrer o evento. As fábricas que serão visitadas estão em pleno funcionamento e em diversos sectores, nomeadamente colchões, cozinhas e indústria pesada. Segundo ele, nesta edição da FILDA, a meta é alcançar quatro objectivos, nomeadamente a reunião de agentes económicos e sociais, a valorização do tecido económico nacional, a promoção e desenvolvimento económico-industrial do país, e a atracção de desenvolvimento capaz de trair o investimento sustentável.

O responsável destacou que o Estado não tem encargos financeiros, estes são assegurados pela empresa Eventos Arena. “O papel do Estado é garantir o fomento empresarial”, lembrou. Questionado sobre a deslocação das pessoas, referiu que a Empresa de Transportes Colectivos Urbano de Luanda (TCUL) vai ter, durante o período da FILDA, rotas especiais com partida no término da antiga Frescangol até à ZEE, e da Ponte Amarela de Viana até ao mesmo destino. Na feira multi-sectorial estarão presentes os sectores dos petróleos, agricultura e pecuária; alimentação e bebidas; banca e financeiro, comércio geral; construção e imobiliária; educação, formação e cultura; hotelaria e turismo; indústria transformadora e extractiva; logística e transportes; energia, máquinas e equipamentos.

Mais de 1000 empregos eventuais

Durante quatro dias, mais de mil pessoas conseguiram um emprego eventual em diversos sectores. Marcelino Pinto referiu que a empresa organizadora do certame, Evento Arenas, conta com 200 funcionários. “Se tivermos em conta os postos de trabalho directos e indirectos estamos acima dos mil postos de trabalho”, estimou.