Executivo prevê formar 50 mil jovens em empreendedorismo até 2022

Executivo prevê formar 50 mil jovens em empreendedorismo até 2022

Dez mil jovens serão capacitados no âmbito do programa “Empreendedorismo na comunidade” e 48,8 mil em empreendedorismo no âmbito do programa “Geração de futuro” até 2022

POR: Brenda Sambo

A meta do Executivo angolano no que diz respeito à formação de quadros nacionais é de capacitar 10 mil jovens no âmbito do programa “Empreendedorismo na comunidade” e 48,8 mil em empreendedorismo no âmbito do programa “Geração de futuro” até 2022, a informação foi avançada ontem, em Luanda, pelo ministro do Comércio, Jofre Van-Dúnem. O dirigente que discursava na abertura do “Workshop de formação em Empreendedorismo-Empretec”, sublinhou que essas metas estão estabelecidas no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN 2018/2022), que tem como um dos objectivos do quinquénio apoiar a iniciativa e o espírito empreendedor, através do reforço à criação de pequenos negócios, para incremento das possibilidades de geração de emprego.

“O empreendedorismo constitui a nobre missão de transformar ideias em projectos, que ao serem transformados em potenciais negócios, sustentáveis e rentáveis contribui para a criação de empregos”, salientou. Estes programas estão também alinhados com o workshop piloto de formação em empreendedorismo– Empretec, no âmbito do programa conjunto UE-CNUCED para Angola, Train for trade II, de formação de quadros financiados pela União Europeia, que se propõe formar 350 empreendedores locais, num período de quatro anos. Frisou também que o contexto económico actual remete a um exercício profundo de reflexão e criatividade, em busca de novas formas e modelos de actuação para diversificação da economia nacional. “Consideramos imprescindível o fortalecimento do papel do sector privado, com o foco no empreendedorismo e o desenvolvimento de micro, pequenas e médias empresas”, disse. O governante avançou ainda que, no novo modelo de actuação do Executivo foram definidas políticas voltadas para o desenvolvimento de programas de formação com o objectivo de valorizar a mãode- obra qualificada e conferir aos jovens um trabalho decente.

“Os referidos programas vão potenciar o sector privado, com informação e técnicas de modo a permitir que possa beneficiar do investimento estrangeiro e da transferência de conhecimento”, frisou. Em paralelo, como parceiro, o sector privado apoiará o governo na identificação das lacunas em capacidades das infra-estruturas comerciais do país. Por sua vez, o embaixador da União Europeia em Angola, Tomás Ulicny, é de opinião que o momento actual de mudança de paradigma em Angola, requer um perfil de cidadania ajustado aos desafios de uma sociedade moderna, promotora do desenvolvimento sustentável e com capacidade de intervenção para a mudança. Para o responsável, o empreendedorismo constitui uma resposta concreta às necessidades desta nova sociedade, com vista a aproveitar o seu potencial de mudança, estimulando as motivações, a proactividade e a capacidade de liderança. Com o lançamento do Empretec, o Ministério do Comércio pretende juntar-se aos esforços dos demais departamentos ministeriais e instituições públicas e privadas na materialização da visão do Executivo de dinamização do empreendedorismo, baseado em metodologias aplicadas com sucesso em outras partes do Mundo.

Sobre o Empretec

O Empretec é um programa emblemático da conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (CNUCED) aplicado actualmente em 40 países do mundo, consubstanciado numa metodologia que tem como foco principal desenvolver características de comportamento empreendedor e identificar novas oportunidades de negócio. O referido projecto está avaliado em EUR 12 milhões, disponibilizados pela União Europeia (UE), para os workshops e seminários e para enviar aos especialistas angolanos aos países mais experientes com programas implementados pela CNUCED.