Exposição “Rostos da Banda” homenageia mulher africana

No rescaldo do “Dia da Mulher Africana” assinalado a 31 de Julho, o artista plástico Jardel Selele inaugura a exposição individual “Rostos da Banda”, em homenagem à mulher do “continente berço da humanidade”

POR: Jorge Fernandes

Com abertura marcada para o próximo dia 10 de Agosto, na Galeria Tamar Golan, da Fundação Arte e Cultura, a mostra em homenagem à mulher africana fica patente naquele espaço cultural até ao dia 27 de Agosto, com cerca de 26 obras de arte. Em declarações a OPAÍS, o autor da mostra explicou que a exposição devia ter sido inaugurada no decurso do mês de Julho, mas não foi possível devido a alguns pormenores de ordem técnica. Garante que, ultrapassadas essas questões, há condições criadas para o efeito. Entretanto, justificou a razão da escolha da figura da mulher por tratar-se de um ser de destaque que, de pés descalços, com ou sem mantos, luta pelo sustento dos seus, mesmo nas intempéries, à procura de sustento para os seus filhos.

“É algo que só faz quem pode e o mérito é dado a quem merece. Mulher mãe, mulher amiga, mulheres que contribuem para o desenvolvimento das sociedades, são espelhos para as futuras gerações e a elas deixarão sempre o seu legado”. Por outro lado, adiantou que os apreciadores de artes poderão encontrar em obras no acrílico, sobre tela e técnica mista, rostos de mulheres conhecidas dos angolanos, que demonstram o empoderamento e a mulher moderna. São os casos das modelos Cael Pascoal, Anilma Estêvão e da repórter da TV Zimbo Sofia Lucas, além de outras com um cunho mais humilde como a mulher rural e todas aquelas que labutam arduamente, dia após dia, para a manutenção das suas famílias.

Exposições individuais

Depois de ter realizado a sua primeira exposição individual, “Rostos e Traços”, resultado de uma residência artística realizada na Galeria Tamar Golan, Jardel Selele voltou a entrar em cena ao apresentar, ainda no ano passado, a mostra “Entre Cores”, na Fábrica de Sabão, no município do Cazenga, passando agora a somar três exposições individuais. Por fazer parte da galeria “Imago Mundi – Luciano Benetton Collection” (Itália), o jovem artista angolano passou a ter as suas obras em países como a Alemanha, Argentina, Cabo Verde, Cuba, França, Estados Unidos da América, Inglaterra, Israel e Portugal.

Exposições colectivas

O artista já conta com um significativo número de participações em exposições colectivas, de que se destacam as realizadas na Coopearte (2011, 2012 e 2013), Galeria Celamar, e, em 2014, uma série de exposições, designadamente as realizadas na UNAP no âmbito da Fenacult. Em 2015 participou na primeira edição da exposição “Unir Jovens”, na UNAP, presença que repetiu em 2016. Ainda em 2015, marcou presença nas duas primeiras edições da Maratona dos Artistas, em Luanda. Em 2016, foi a vez de mostrar algumas das suas obras na exposição “Mulheres Unidas No Desenvolvimento de Angola” (MAAN) e tantas outras.

Percurso

Natural da província de Luanda, concretamente do chamado município “Satélite”, Viana, Jardel Selele nasceu a 10 de Agosto de 1996 e, curiosamente, completa os seus 22 anos de idade precisamente no dia em que inaugura a sua terceira exposição individual. Desde muito tenra idade manifestou o gosto pelo desenho, tendo começado a esboçar os seus primeiros traços com o seu irmão mais velho, iniciando com apenas 13 anos de idade as suas aulas de desenho artístico com Evadilson José Ferreira. Aos 14 anos já frequentava o Atelier Celamar, onde foi aprendendo com artistas já conceituados no mundo das artes como Eduardo Vueza, Zeca Lukombo, Paulo Kussy, Marcela Costa, José João, João Jorge, Alves Manuel, Armando Scoott e Aristóteles Sanza André. Estudou desenho de projecto no ensino médio, entrando aos 19 anos de idade no Complexo de Escolas de Arte (CEARTE). Membro da Brigada Jovem de Artistas Plásticos (BJAP) e do projecto Caderno de Artes na Escola. Jardel Selele é o director artístico do projecto Maratona dos Artistas. É também representante do portal Universo Art Kids em Angola.