reconhecimento: Pepetela e Luanda homenageados em Outubro por Kaluandando.com

O tributo ao consagrado escritor visa enaltecer a literatura angolana numa perfeita alquimia multidisciplinar, que incluirá um roteiro pelo mundo da arte

POR: Augusto Nunes

A cidade de Luanda e o escritor Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos Pepetela, serão alvos de uma homenagem a realizar- se nos próximos dias, em Luanda, informou Kaluandando. com, responsável pela organização do evento. A reverência ao consagrado escritor visa enaltecer a literatura angolana numa perfeita alquimia multidisciplinar, aprazada para os meses de Outubro e Novembro, e incluirá um roteiro pelo mundo da arte, entre a Fortaleza São Miguel, a Marginal da Baía de Luanda, o Centro Cultural Brasil – Angola, o Camões – Centro Cultural Português, a Academia BAI e alguns outros pontos turísticos e culturais da cidade. O artesanato, o bem-estar, o cartoon, a cerâmica, o cinema, a cultura, o turismo, a dança, a escultura, a fotografia, a gastronomia, o grafiti, a gravura, a instalação, a capoeira, a literatura, os museus, a música, assim como a pintura, a tapeçaria e o teatro, são entre outras realizações, as propostas desta II edição do Kaluandando.com., o promotor do evento.

O homenageado

Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, conhecido pelo pseudónimo Pepetela, nasceu em Benguela, a 29 de Outubro de 1941. É um dos mais importantes escritores da lusofonia, distinguido em 1997 com o Prémio Camões. É autor de várias obras, das quais “Mayombe”, “A Geração da Utopia”, “Yaka”, “Os Predadores”, “Cão e os Caluandas”, entre outras. As suas obras refletem a história contemporânea de Angola e os problemas que a sociedade angolana enfrenta. Durante a longa guerra, Pepetela lutou juntamente com o MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola) para a libertação da sua terra natal.

O seu romance Mayombe retrata as vidas e os pensamentos de um grupo de guerrilheiros durante a guerra. Yaka segue a vida de uma família colonial na cidade de Benguela ao longo de um século, e A Geração da Utopia mostra a desilusão existente em Angola depois da Independência. A história angolana antes do colonialismo também faz parte das obras de Pepetel, e pode ser lida em A Gloriosa Família e Lueji. A sua obra nos anos 2000 critica a situação angolana, textos de estilo satírico incluem a série de romances policiais denominada Jaime Bunda. A I edição da marca Kaluandando. com realizou-se nos meses de Outubro e Novembro de 2017, numa efervescência artística e cultural que homenageou Luanda dentro de dois espaços culturais, o Camões – Centro Cultural Português e a Fabrica de Sabão, e contou com a participação de 21 artistas de diferentes disciplinas numa fusão que correspondeu a todas as espectativas da organização.