Camponeses da Lunda-Sul precisam de mais apoios do Executivo

O presidente da Confederação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agropecuárias (UNACA) na Lunda-Sul, Bartolomeu Mussenohó, defende a necessidade de haver mais incentivos para os camponeses, com vista a aumentar a produção na região.

O responsável disse que os camponeses necessitam de apoios, sobretudo para o escoamento dos produtos do campo para as localidades onde existem grandes centros comerciais, câmaras de conservação e outros equipamentos indispensáveis para o êxito da actividade. Além do escoamento dos produtos, frisou que há necessidade de o sector da agricultura e seus parceiros reforçarem os mercados rurais nas comunas, de forma a evitar que os camponeses percorram longas distâncias para realizar as trocas comerciais. Lamentou o facto de existir algumas dificuldades em termos de distribuição de inputs agrícolas (fertilizantes, sementes, enxadas, catanas, limas e outros), desde 2007, o que às vezes tem condicionado a preparação dos campos aráveis.

Apelou aos órgãos afins no sentido de contemplarem a sua direcção com máquinas de lavoura, para apoiar as diversas cooperativas agrícolas no aumento da produção de bens e contribuir para o combate à fome e à pobreza no seio das comunidades. Disse que na campanha agrícola 2017/2018 foram colhidas 25 mil e 800 toneladas de produtos diversos e para a presente campanha pretendem ultrapassar essa cifra de produção. Afirmou que os camponeses associados da UNACA, mesmo sem meios, têm estado a trabalhar com a finalidade de contribuir para o desenvolvimento da região e o bem-estar da população.

Potencialidades

Cacolo tem uma população de 30 mil e 524 habitantes, distribuída em três comunas, nomeadamente Alto Chicapa, Xassengue e Cucumbi. A comunidade cultiva milho, feijão, mandioca, batata rena e doce, hortaliças e frutas diversas.