Eleitores prontos para escolher nova Comissão Directiva da UNAC-SA

“Por Uma Classe Unida, Organizar Para Desenvolver” artistas expectantes juntam- se em palestra, de forma consciente e livre, para escolher a nova Comissão Directiva da União Nacional dos Artistas e Compositores- Sociedade de Autores, a 17 deste mês

POR: Augusto Nunes

“A UNACSA – Na Visão da Candidatura de Zeca Moreno” foi o tema da palestra realizada Sábado no anfiteatro da Escola Njinga Mbande em Luanda, pela equipa da Lista A, candidata a presidência da União Nacional dos Artistas e Compositores – Sociedade de Autores UNAC-SA, de que foi prelector Marcelino Bonzela. Artistas provenientes de várias circunscrições de Luanda e não só, acorreram ao local e num ambiente aprazível, bastante participativo e harmonioso, receberam informações sobre o pleito eleitoral aprazado para esta Sexta-feira, às 9 horas, no Museu Nacional de História Natural e o programa de acção para o quadriénio 2018-2022.

Mas uma vez, a dinamização no funcionamento da área de Gestão dos Direitos do Autor e Conexos mereceu a atenção de todos os presentes, de modo a permitir a fruição de benefícios aos criadores de arte, filiados na UNAC-S.A., resultantes do uso das suas obras. A questão da cooperação com as associações de especialidade artística, assim como as acções de desenvolvimento autónomo das áreas da dança e do teatro, também motivo de realce e discussão entre prelectores e a classe artística com vista a conferi-las uma nova dinâmica, tendo em conta a sua especificidade e complementaridade. Outra situação que também mereceu a intervenção activa da classe foi, sem dúvidas, da assistência, segurança e solidariedade social dos associados, prevendo negociações com o INSS para a abertura da inscrição especial (com tempo limitado) de artistas veteranos que, por razões ponderáveis, não puderam se inscrever no período legalmente estabelecido.

A criação de um Fundo Nacional de Apoio aos Artistas ou Fundo Social, como instrumento de natureza financeira, contributiva e solidária, foi também um dos aspectos avançados por Marcelino Bonzela nesta palestra. Esta última visa financiar essencialmente projectos e acções de inclusão, promoção e assistência social e uma fonte complementar ao rendimento monetário dos Associados da UNAC-S.A., servindo-lhes de estímulo e incentivo no desempenho das suas actividades. Zeca Moreno, líder da Lista A, ao intervir no acto, referiu que a implementação desta linha de força só pode ser bem-sucedida caso contar com o apoio de todos. Admitiu que para este desafio que têm pela frente, ele e a sua equipa não serão suficientes, o que envolve a participação de todos os presentes, assim como os que estão nas províncias para o pleito, por serem uma parte interessada na resolução dos problemas da classe artística nacional.

Zeca Moreno lembrou que estas realizações serão possíveis porque acreditam as suas capacidades e no seu governo. Zeca Moreno esclareceu que não partirão para uma acção de confrontação e de crítica desnecessária pública, mas, sim, trabalhar com o Governo, buscar a sua cooperação, uma vez que este tem muito para a classe artística. Realçou que a Independência de Angola não foi conquistada apenas com armas, mas também com a arte. Admitiu que apostar a sua sensibilidade por acreditar no Executivo irá ajudar a compensar os artistas que muito fizeram e continuam a fazer com a arte. A intenção, segundo Zeca Moreno, é partir para um projecto sério, responsável e credível em que toda a classe se reveja e não um projecto apenas para velhos ou apenas para jovens, mas um projecto inclusivo em que os novos e os menos novos possam dialogar e encontrar um rumo para os seus objectivos.